ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Campanha deste sábado desmistifica que LGBTs não podem doar sangue

Campanha no Hemosul serve para ajudar quem precisa e para fazer reparações históricas contra comunidade LGBT

Por Lucas Mamédio e Jéssica Fernandes | 18/05/2024 09:41
Gabrielly Antonietta, coordenadora do Centro Estadual de Cidadania LGBT, pousando com bandeira LGBT em frente ao Hemosul (Foto: Jéssica Fernandes)
Gabrielly Antonietta, coordenadora do Centro Estadual de Cidadania LGBT, pousando com bandeira LGBT em frente ao Hemosul (Foto: Jéssica Fernandes)

Uma campanha criada pela Subscretaria de Políticas Públicas para População LGBTQIA+ de Mato Grosso do Sul está levando várias pessoas da comunidade ao Hemosul para doar sangue neste sábado (18).

Além da ajuda a quem precisa, a ação é uma  vitória simbólica, já que o perfil dos doadores LGBTs era, historicamente, vedado de doar sangue. A mudança veio de uma conquista recente, por lei, entre 2020 e 2021.

“A gente está no maio da diversidade. Então a subsecretaria de políticas públicas para a população LGBT tem uma agenda bem intensa de programação, de enfrentamento, LGBTfobia”, explica Gabrielly Antonietta Lima da Silva , coordenadora do Centro Estadual de Cidadania LGBT

Marina Torres, coordenadora da Rede Hemosul também relembra o modo como os doadores LGBTs eram tratados. “É muito importante lembrar, por exemplo, que esse tipo de ação para essa categoria, vamos dizer assim, ela não é o motivo de inaptidão. Eles fazem uma triagem, mas não está relacionado a ser hétero ou LGBTQIA+, mas sim para o comportamento de risco, tanto para hétero como outra categoria. A orientação sexual não é motivo de inaptidão, é o comportamento de risco”.

Priscila Teruya, psicóloga, antes de doar sangue neste sábado (Foto: Jessica Fernandes)
Priscila Teruya, psicóloga, antes de doar sangue neste sábado (Foto: Jessica Fernandes)

Marina também reforça que a demanda constante de Mato Grosso do Sul por doação, porque temos alguns serviços que fazem coleta no interior, mas quando tem deficiência de alguma demanda, é o Hemossul que faz a reposição dos estoques. “Essas campanhas de ações que são realizadas no decorrer do ano são muito importantes para nós para que a gente possa realmente atender os pacientes que precisam”.

Já para Priscila Teruya, psicóloga de 40 anos, campanhas como essa ajudam a desmistificar a doação de pessoas LGBTQIA+. "Até um tempo atrás, homens que faziam sexo com homens ainda não podiam doar sangue. Só a partir de 2021, que as pessoas passaram a poder doar sangue. Então muita gente ainda não vem porque ainda tem essa informação errônea.

Até o momento, cerca de 60 pessoas doaram sangue. Não é possível saber quantos foram pela campanha porque nem todos assinam a lista. A ação aqui vai até 17h e a expectativa é que compareçam entre 30 a 50 pessoas no decorrer do dia.

Sala de espera do Hemosul neste sábado (18) (Foto: Jéssica Fernandes)
Sala de espera do Hemosul neste sábado (18) (Foto: Jéssica Fernandes)

Regras para doar

Ter entre 16 e 69 anos de idade, o menor de idade tem que vir acompanhado do pai ou responsável legal, estar em boas condições de saúde e também estar bem alimentado. Então não pode, não deve vir em jejum. O peso é 51 quilos no mínimo.

O tipo O positivo e o O negativo que são os estoques mais críticos, mas os outros tipos sanguíneos nós também recebemos, são bem-vindos, porque a plaquetas tem tempo de validade muito curto de cinco dias, então nós precisamos de todas as doações.

Conquista recente

Somente em 2020 que o STF (Superior Tribunal Federal) entendeu como inconstitucional o impedimento à doação de sangue por pessoas LGBT+.

Gabrielly Antonietta reforça que histórica é a trajetória de políticas públicas do Estado de Mato Grosso do Sul para a comunidade.

“Foi no dia 26 de maio de 2011 que ficou instituído o Dia Estadual de Combate à Homofobia, que é comemorado anualmente no dia 17 de maio. Então, o Mato Grosso do Sul, que tem sido referência em pensar políticas públicas para a população LGBTQIA + no País, não poderia deixar de celebrar a data com esta ação de cidadania”, completa.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias