ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Casa pega fogo, criança se fere, mas consegue escapar com a mãe pela janela

Dona de casa afirma que o incêndio começou após ouvirem um estalo e colchões ficarem em chamas

Por Nyelder Rodrigues e Liniker Ribeiro | 06/03/2021 10:33

Uma criança de 12 anos ficou ferida na perna durante um incêndio que destruiu um dos dois quartos da casa onde morava com sua mãe, pai e mais dois irmãos, no Núcleo Industrial - região oeste de Campo Grande. O caso aconteceu nessa manhã de sábado (6) e as chamas só foram controladas pelo Corpo de Bombeiros.

No momento do incidente, estava na casa apenas a dona de casa Gisele de Oliveira, de 31 anos, e seu filho Geovane, de 12. Enquanto ela lavava roupa, ele lavava a louça. Em dado momento, ambos ouviram um estalo nessa manhã.

Eles procuraram e nada encontraram, retornando para suas atividades. Contudo, minutos depois, Geovane gritou pela mãe falando que um dos quartos estava em chamas. "Fui até lá e vi que um colchão de solteiro estava pegando fogo e joguei ele para fora. Mas logo depois o de casal também já estava incendiado", explica a dona de casa.

Gisele então revela que as labaredas estavam bastante altas, acalçando o teto da residência, o que a fez fugir pela janela do quarto com o filho, que acabou com uma queimadura na perna e precisando de atendimento para tratar o ferimento. Já ela cortou a mão no momento em que pulava a janela.

Cômodo ficou destruído e toda a casa pode ter ficado com a estrutura comprometida (Foto: Kisie Ainoã)
Cômodo ficou destruído e toda a casa pode ter ficado com a estrutura comprometida (Foto: Kisie Ainoã)

"Tirei o colchão na tentativa de não espalhar o fogo, mas foi tudo muito rápido, e quando voltei o colchão de casal também estava pegando fogo", revela. "Perdi minhas roupas, documentos, colchões móveis, brinquedos. Queimou tudo. Já não tinha muita coisa, mas era tudo o que tinha", lamenta Gisele.

A mulher ainda conta que a casa é alugada por R$ 350 por mês e que a família vive com o salário de auxiliar de produção do marido. "Minha maior preocupação agora é saber o que vamos fazer, para onde vamos", diz, após receber a notícia de que a estrutura do quarto foi afetada e, por isso, a casa inteira precisará ser isolada.

As condições da casa ainda dependem de uma avaliação de engenheiro mais específica. Acredita-se que o incêndio possa ter começado de uma faísca que saiu do plug da tomada, que estava sem o espelho de proteção, caindo sobre os colchões. Porém, apenas uma perícia poderá constatar o que de fato ocorreu.

Gisele afirma que agora a preocupação é saber para onde família irá após o incêndio (Foto: Kisie Ainoã)
Gisele afirma que agora a preocupação é saber para onde família irá após o incêndio (Foto: Kisie Ainoã)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário