A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/12/2013 14:18

Caso de gêmeas siamesas é raro e elas não podem ser separadas

Caso das gêmeas siamesas é raro e pode não ser revertido

Filipe Prado

As gêmeas siamesas, que foram transferidas para o Hospital Maternal Infantil em Goiânia (GO), estão estáveis, mas o estado de saúde ainda é grave. Segundo o cirurgião pediátrico e responsável pelas meninas, Zacharias Calil, o caso é raro e, provavelmente, as meninas não sobrevivam a cirurgia de separação.

Essa patologia pode ocorrer em 1 a cada 100 mil crianças nascidas vivas. O médico relata que a situação das meninas é rara e é causado por má formação. “Eles são chamados gêmeos conjugados, Tóraco onfalópagos, pois são unidos pelo tórax e abdômen”, explica.

O estado de saúde das meninas ainda é grave, mas o médico relata que uma delas está melhor. “Uma das meninas teve uma pequena piora na oxigenação, mas as duas ainda estão entubadas”, afirma.

Ele conta que a cirurgia de separação ainda não é opção para elas, pois podem não sobreviver a operação. “Conversei com a mãe e a nossa prioridade é a sobrevida das meninas, então ainda não pensamos em cirurgia. Nesses casos, as crianças não sobrevivem, pois são muito pequenas e frágeis”, explica Zacharias.

“Essa é uma cirurgia de grande porte, delicada. Elas podem sofrer no processo instabilidade respiratória e cardíaca, o que deixa quase impossível a separação delas. Podendo ficar unidas para a vida toda”, acrescenta o médico.

Gêmeas – Elas nasceram dia 28 de novembro em Campo Grande, prematura de 34 semanas. As meninas são unidas pelo tórax e abdômen e dividem um coração e fígado.

As gêmeas foram transferidas para o Hospital Materno Infantil, de Goiânia (GO), na segunda-feira (16) e estão internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica.

Exames mostram que gêmeas siamesas têm apenas um coração
Exames realizados na Santa Casa de Campo Grande apontaram que as gêmeas siamesas, que nasceram no hospital no dia 28 de novembro, dividem o mesmo cor...
Irmãs siamesas seguem internadas na Santa Casa de Campo Grande
As irmãs siamesas, que nasceram no último dia 28 em Campo Grande, continuam internadas na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) neonatal da Santa Cas...
Mulher de 21 anos dá à luz a gêmeas siamesas na Santa Casa
Uma mulher de 21 anos deu à luz a gêmeas siamesas no último dia 28 na Santa Casa de Campo Grande. As duas meninas estão grudadas pelo tórax e estão i...


A MEDICINA NÃO PODE SEPARÁ=LAS,PARA A FAMÍLIA UM SOFRIMENTO,QUE DEUS AMPARE E QUE SEJA FEITO O MELHOR PARA AMBAS.
 
lúcia helena maluf de araújo em 19/12/2013 08:26:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions