A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

31/05/2018 17:02

Celebração tem vendas em baixa e pessoas passando mal por causa do calor

Corpo de Bombeiros confirmou o atendimento de cinco pessoas e explicou que em aglomerados como o da celebração, quedas de pressão são comuns.

Danielle Valentim e Anahi Gurgel
Adrielyt chegou às 13h e só vendeu três, dos três tipos de produtos levados ao Centro. (Foto: Anahi Gurgel)Adrielyt chegou às 13h e só vendeu três, dos três tipos de produtos levados ao Centro. (Foto: Anahi Gurgel)

A celebração de Corpus Christi em Campo Grande reúne milhares de fiéis nesta quinta-feira (31), mas, segundo vendedores ambulantes, a multidão é menor que em anos anteriores. Com opções de água à balões decorativos, quem resolveu acompanhar a missa e procissão celebrada pelo arcepbispo Dom Dimas Lara, decidiu economizar e levar o alimento na bolsa.

Pelos quarteirões é possível encontrar vendedores água, salgadinho, algodão doce e balão. Porém, quem saiu cedo de casa para faturar durante o evento, considera o movimento fraco e público menor comparado ao ano passado, quando cerca de 20 mil fiéis participaram.

Adrielly da Silva Matins, de 26 anos, vem com a família todo ano vender algodão doce e balão infantil. Ela chegou às 13h e só vendeu três, dos 3 tipos de produtos levados ao Centro. A ambulante percebeu que a venda está quatro vezes menor que no ano passado. "Vou acompanhar a procissão para ver se consigo vender mais", disse.

Tivemos queda de até 30%, disse Marcela, que na foto aparece sem óculos. (Foto: Anahi Gurgel)"Tivemos queda de até 30%", disse Marcela, que na foto aparece sem óculos. (Foto: Anahi Gurgel)
Alex levou até o filho, mas só vendeu dois balões e dois algodões doces. (Foto: Anahi Gurgel)Alex levou até o filho, mas só vendeu dois balões e dois algodões doces. (Foto: Anahi Gurgel)

Na esquina da 14 de juulho com a Mato Grosso, uma família é proprietária de uma lanchonete. Os vomerciantes abrem em todas as celebrações, pórem percebeu queda no movimento, nos últimos anos. "Antes abríamos às 6h, agora às 10h. Tivemos queda de até 30%, mas vamos ficar abertos enquanto tiver gente", diz uma das donas, Marcela do Amaral, de 36 anos.

O vendedor de balões e algodão doce, Alex Abreu da Silva, de 34 anos, se programou para as vendas e até levou o filho, porém, só vendeu dois balões e dois algodões doces. "Nunca foi tão pouco e também vou seguir a procissão", disse.

Cabo do Bombeiro confirmou o atendimento de cinco pessoas e explicou que em aglomerados como o da celebração, quedas de pressão são comuns. (Foto: Anahi Gurgel)Cabo do Bombeiro confirmou o atendimento de cinco pessoas e explicou que em aglomerados como o da celebração, quedas de pressão são comuns. (Foto: Anahi Gurgel)

Mal súbitos - O calor era intenso no início da tarde e entre às 13h30 às 14h, a reportagem do Campo Grande News presenciou quatro mal súbitos, em adultos e idosos.

Uma das vítimas foi Marcos Silva, de 48 anos. "Almocei normal, cheguei por volta das 14h30 e não sei o que aconteceu, comecei a passar mal", disse.

Cabo Thiago Moraes, do Corpo de Bombeiros, confirmou o atendimento de cinco pessoas e explicou que em aglomerados como o da celebração, quedas de pressão são comuns.

"As pessoas ficam muito proximas, bastante abafado. Depois Elas se afastam , respiram mais e melhoram. Nada grave. Maioria casos de queda de pressão", esclareceu.

Duas motolâncias estão de plantão no evento, segundo o cabo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions