ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Centenas de pessoas madrugam em fila para comprar no Bazar da Apae

O bazar, que acontece desde as 8h na Avenida Joana D’arc, termina às 16h30 ou até quando durar o estoque

Viviane Oliveira e Cleber Gellio | 03/06/2022 10:04
Centenas de pessoas aguardavam na fila, do lado de fora, para aproveitar o preço em conta. (Foto: Marcos Maluf)
Centenas de pessoas aguardavam na fila, do lado de fora, para aproveitar o preço em conta. (Foto: Marcos Maluf)

Centenas de pessoas fizeram fila nesta sexta-feira (3) para comprar celulares, caixinhas de som, casacos, brinquedos e perfumes no 1º Bazar da Apae-CG (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campo Grande) após a pandemia da covid-19. Depois dos aparelhos celulares e das caixinhas de som que acabaram rapidamente, os itens mais procurados foram os casacos no valor de R$ 140.

Os produtos foram apreendidos pela Receita Federal e todo o dinheiro arrecadado será revertido para o custeio da associação. O bazar, que acontece desde as 8h na Avenida Joana D’arc, nº 1450, na Vila Santa Branca, termina às 16h30 ou até quando durar o estoque.

Segundo a diretora pedagógica da instituição, Elciane Silva, os celulares vendidos a R$ 900 (do modelo Xiaomi) foram os primeiros a acabar, seguidos das caixinhas de som (réplicas da JBL). Foram disponibilizados dez aparelhos celulares. Os valores dos produtos foram estipulados pela Receita Federal.

A forma de pagamento pode ser no Pix, cartão de débito e crédito. Parcelamento somente para as compras acima de R$ 200. O bazar foi montado na quadra da instituição e são liberadas 20 pessoas por vez.  “Cada um pode comprar 4 peças de cada item, para que não haja compra em atacado”, destacou Elciane.

Depois dos celulares e caixinhas de som, foi a vez dos casacos fazerem sucesso. (Foto: Marcos Maluf)
Depois dos celulares e caixinhas de som, foi a vez dos casacos fazerem sucesso. (Foto: Marcos Maluf)

Conforme a diretora, a instituição pretende arrecadar R$ 50 mil, que serão diluídos em todos os setores. “É muito bacana esse tipo de ação, porque acaba divulgando a instituição também. Depois disso, com o que sobrar, a gente pretende fazer uma lojinha aqui”, destacou.

A vendedora Tatiane Nery, de 35 anos, madrugou na fila e conseguiu levar para a casa 3 casacos, além de desodorantes para o marido e filhos. Ela madrugou na fila e gastou R$ 492 com a compra. “Valeu muito a pena ter vindo de madrugada. Os casacos são de boa qualidade. Eu já tinha pesquisado antes e um casaco desse não sai por menos de 200", comemorou.

Tadeu comprou mais de R$ 300 em presentes para os sobrinhos. (Foto: Marcos Maluf)
Tadeu comprou mais de R$ 300 em presentes para os sobrinhos. (Foto: Marcos Maluf)

Vindo do Bairro Centenário, o aposentado Tadeu Henrique Nerys, de 42 anos, também madrugou para aproveitar os preços e presentear os sobrinhos. Ele comprou R$ 330 em produtos. Foram casacos, patins e brinquedos. "Comprei tudo para os sobrinhos. Para mim, ficou só a conta mesmo”, brincou.

Quem burlou as regras e comprou produtos para revender na sua loja foi Aparecida Morais Vieira da Cunha, de 57 anos, comerciante do Jardim Samambaia. Ela comprou 4 casacos e levou a filha, que comprou mais 4. Além disso, as duas ainda aproveitaram para comprar desodorantes e guarda-chuva infantil. Os produtos serão vendidos no estabelecimento de Aparecida. “O preço está bem conta”, disse.

Quadra ficou cheia de gente que aproveitou o bazar para economizar. (Foto: Marcos Maluf)
Quadra ficou cheia de gente que aproveitou o bazar para economizar. (Foto: Marcos Maluf)

Nos siga no Google Notícias