ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Centro de acolhimento para mulheres passa a atender também os filhos

O serviço é antigo e foi ampliado para encaminhar situações de violência doméstica com crianças e adolescentes

Por Maristela Brunetto | 29/02/2024 06:49
Centro acolhe e orienta mulheres em situação de violência e agora incluirá serviços aos filhos (Foto: Paulo Francis)
Centro acolhe e orienta mulheres em situação de violência e agora incluirá serviços aos filhos (Foto: Paulo Francis)

O governo do Estado ampliou serviços de um centro criado ainda no final dos anos 90 e agora ele se tornou o Ceamca (Centro Especializado de Atendimento à Mulher, à Criança e ao Adolescente em Situação de Violência), para incluir a atenção para os filhos que presenciam e sofrem a violência no ambiente doméstico. A estrutura funciona em um imóvel no Jardim dos Estados, em Campo Grande, mas a Secretaria da Cidadania cogita buscar um espaço maior.

Um decreto foi publicado expandindo os atendimentos do centro. Nele, as mulheres recebem apoio e suporte para lidar com as situações relacionadas à Lei Maria da Penha, como a decisão de registrar boletim de ocorrência e pedir medida protetiva e também encaminhamento para uma casa abrigo, cujo endereço é mantido em sigilo para a proteção daquelas mulheres e filhos que se encontram ameaçadas.

O centro tem profissionais de várias áreas, como psicologia, assistência social e pedagogia, com formação especializada em lidar com o tema. A secretaria informou que não será necessário ampliar o quadro de pessoal. É um serviço que funciona em horário comercial.

No decreto ampliando os serviços, entre os fundamentos consta que “ as crianças e os adolescentes também são impactados cognitivamente e emocionalmente por presenciarem as situações de violência doméstica, podendo ao longo da vida adulta naturalizarem ou repetirem tais comportamentos”.

O acolhimento às mulheres e seus filhos envolverá orientação para chegar aos serviços necessários, “articulando os entes estaduais e municipais da rede de atendimento à mulher em situação de violência”, também caberá o serviço ajuda-las a se encaixar em novo emprego, caso precise mudar para romper os laços com o agressor. O centro também será um ponto de reunião de informações que podem gerar políticas públicas para esse público alvo.

Campo Grande tem já os serviços concentrados para atender ocorrências de violência na Casa da Mulher Brasileira e um centro no mesmo molde deverá ser construído em frente para reunir atendimento para crianças e adolescentes vítimas de violência. Hoje, durante o dia há a delegacia especializada, a DEAM, e nos plantões as ocorrências são registradas no Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada), no bairro Tiradentes.

O Ceamca funciona na Rua Piratininga nº 559.

Nos siga no Google Notícias