A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/05/2016 10:35

Centro Pediátrico que consumiu R$ 10 mihões vira morada de mendigos

Fernanda Mathias
Prédio abrigou centro de pediatria por um ano e um mês, mas consumiu quase R$ 10 milhões (Foto: Fernando Antunes)Prédio abrigou centro de pediatria por um ano e um mês, mas consumiu quase R$ 10 milhões (Foto: Fernando Antunes)

O prédio alugado e estruturado pela Prefeitura de Campo Grande para funcionamento do Cempe (Centro Municipal Pediátrico) é hoje uma estrutura abandonada e sua escadaria tem servido de abrigo para moradores de rua, um desperdício de dinheiro público que gera revolta na população:

“O Hospital que atendia as crianças hoje é abrigo de andarilhos. O caos e descaso com a população, onde nossos governantes preferem sentar e fechar as portas do que levar e reagir dando soluções para este caso”, desabafa a acadêmica de Direito, Monique Bento, que procurou o Campo Grande News para mostrar a situação do prédio.

 

Moradores de rua dormem em  escadaria do antigo centro de pediatria (Foto: Direto das Ruas)Moradores de rua dormem em escadaria do antigo centro de pediatria (Foto: Direto das Ruas)

Inaugurado em 12 outubro de 2014, o Cempe funcionou por pouco mais de um ano, no dia 27 de novembro do ano passado o prefeito, Alcides Bernal (PP) anunciou o fechamento da unidade, alegando prejuízo de R$ 9,6 milhões aos cofres públicos e informando que uma sindicância foi aberta pela atual administração para apurar ilegalidade na abertura do centro, já que não tinha fonte de financiamento de receita e usou recursos destinados aos projetos do Plano Municipal de Saúde.

O proprietário do prédio, Mafuci Kadri, reclama que as mensalidades estão atrasadas e que quer o prédio “nas condições em que receberam”. Ele não entra em detalhes sobre a questão estrutural, se limita a dizer que “muitas coisas deixaram a desejar” e diz que a situação se arrasta há seis meses sem com que consiga contato com a Prefeitura. “Querem que seja uma decisão litigiosa, mas não quero briga. Estou na esperança de alguém assumir a Prefeitura e poder voltar a conversar”.

O centro pediátrico começou a atender com cinco pediatras e 10 leitos de UTI. A locação do prédio do antigo Hospital Sírio Libanês para funcionamento do Hospital Pediátrico Municipal de Campo Grande teve custo de R$ 2,32 milhões, conforme extrato do contrato celebrado entre a Prefeitura e a empresa El Kadri Participações e Investimentos Imobiliários Ltda, publicado em Diário Oficial do município. O valor foi distribuído em 22 parcelas mensais de R$ 194,1 mil



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions