ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  22    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Concorrência diminui e 297 candidatos disputam vaga de conselheiro tutelar

Dois conselheiros tiveram inscrição indeferida ao cargo com salário que pode chegar a R$ 10,9 mil com plantões

Caroline Maldonado | 27/07/2023 12:54
Entrada do Conselho Tutelar Sul em Campo Grande (Foto: Arquivo/Paulo Francis)
Entrada do Conselho Tutelar Sul em Campo Grande (Foto: Arquivo/Paulo Francis)

O exame de conhecimento específico aos candidatos ao cargo de conselheiro tutelar em Campo Grande será aplicado pela Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura) no dia 6 de agosto, um domingo. Os aprovados passarão ainda por prova prática de informática, avaliação de perfil e entrevista, na disputa pelo cargo que tem salário de R$ 5,9 mil, além de R$ 354 por plantão de 12h, o que pode elevar a remuneração mensal a até R$ 10,9 mil.

A concorrência diminuiu, ficando em 7,4 candidatos por cada uma das 40 vagas, depois que cinco pessoas tiveram a inscrição indeferida. Eram 302 com inscrições deferidas, mas o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) publicou retificação, excluindo os candidatos da disputa por não atenderem a determinados itens do edital e legislação.

Indeferidos - Entre os cinco, alguns já foram conselheiros e dois ainda são. A inscrição da conselheira Cassandra Szuberski foi indeferida por não atender o item 9.7 do edital, que detalha documentação a ser entregue e diz que "não podem se inscrever candidatos que tenham sido penalizados no exercício da função de conselheiro tutelar nos cinco anos anteriores ao processo de escolha". O candidato Benedito Carlos da Silva Filho, que já foi conselheiro, teve a inscrição indeferida pelo mesmo motivo.

Também foram indeferidas as inscrições de Marcelo Marques de Castro, Elizandra Farias Rospide e Fabiano do Carmo Galhardo. Marcelo já ocupa cargo de conselheiro e tentava reeleição.

Eles foram retirados da disputa por não atender o artigo 133 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que exige “reconhecida idoneidade moral”; e o artigo 40 da Resolução n. 231 de 28/12/2022 do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), que prevê uma série de deveres aos conselheiros.

Prova - O exame de conhecimento específico é eliminatório e classificatório. Ainda não foi divulgado o local de prova. Os candidatos responderão a 25 questões de múltipla escolha, sobre legislação internacional e nacional referentes à criança e adolescente, com tempo máximo de três horas e nota de zero a cem. Serão considerados reprovados os candidatos que tiverem rendimento inferior a 70% da prova.

As questões serão sobre a Declaração dos Direitos Humanos; Convenção sobre os Direitos da Criança; Constituição Federal; Lei 8.069/90 e suas atualizações (Estatuto da Criança e do Adolescente); Loas (Lei Orgânica da Assistência Social); Lei Orgânica da Saúde n. 8.080/90; LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação); Lei n. 13.431/2017, que estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência; e Lei n. 14.344/2022 (Lei Henry Borel).

Prova Prática de Informática - Os candidatos aprovados no exame de conhecimento específico farão a prova prática de informática sobre texto; editor de texto; banco de dados; navegação na internet e correio eletrônico.

Avaliação de Perfil Comportamental e Entrevista por Competências - Estes serão estruturados em exame de psicometria projetiva e uma análise de adequação à função, também aplicados pela Fapec.

Eleição - O trabalho dos conselheiros ficou em evidência diante da morte de uma menina de 2 anos vítima de violência doméstica, em janeiro deste ano, após o pai ter buscado ajuda em diferentes órgãos ligados à rede de proteção.

Apesar da importância dos profissionais, a eleição atrai poucos eleitores. No último pleito, em 2019, foram cerca de 20 votantes, menos de 4% dos aptos a votar.

Um dos locais de votação da última eleição de conselheiro tutelar (Foto: Arquivo)
Um dos locais de votação da última eleição de conselheiro tutelar (Foto: Arquivo)

Desta vez, a votação será no dia 1º de outubro, das 8h às 17h, por meio de urna eletrônica. Podem votar todos acima de 16 anos e que estejam quites com a Justiça Eleitoral. O eleitor só poderá votar se estiver com documento com foto original e título de eleitor.

A comissão especial deve organizar uma reunião com toda a comunidade nas oito regiões administrativas de Campo Grande com a presença de todos os candidatos interessados para divulgação das eleições e a plataforma de trabalho para cada um dos candidatos.

A fiscalização de todo o processo eleitoral fica a cargo do Ministério Público e o CMDCA deve providenciar o material de divulgação de todos os candidatos por meio eletrônico e/ou impresso de forma coletiva.

Proibido antes e durante a eleição - Os candidatos não podem doar, oferecer, prometer ou entregar ao eleitor, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive brindes de pequeno valor, além de fazer qualquer tipo de propaganda eleitoral; conduzir eleitores se utilizando de veículos públicos ou particulares; e realizar propaganda em carros de som ou outros instrumentos ruidosos.

Curso e posse - Serão divulgados os nomes dos cinco conselheiros tutelares, titulares e seus respectivos suplentes escolhidos de acordo com sua classificação, por Conselho Tutelar instalado. Eles passarão por curso de formação e a posse será no dia 10 de janeiro de 2024.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias