A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

31/03/2018 09:26

Com festa cancelada por internação, Yago faz 1 ano entre sustos e vitórias

Gerado no ventre de mulher com morte cerebral, bebê foi caso inédito em Mato Grosso do Sul

Aline dos Santos
Em dezembro, Yago estava em casa, no colo da avó Adriana. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Em dezembro, Yago estava em casa, no colo da avó Adriana. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Protagonista de uma trajetória peculiar, com enredo em que foi orfão de mãe e notícia antes de nascer, Yago Souza Sodré de Noronha, a quem também caberia o sobrenome guerreiro, completa um ano neste sábado. Ele está internado na Santa Casa de Campo Grande, onde passou a maior parte da ainda nascente história de vida.

A avó Adriana de Souza Ávalos, 45 anos, conta que o menino até tinha ganho uma festinha no próximo dia 3, mas a comemoração foi cancelada. O bebê teve que voltar ao hospital por causa de uma pneumonia, que fragilizou sua saúde e o fez perder peso.

De acordo com Adriana, o quadro clínico melhorou e a internação prossegue para aplicação de uma injeção. O tratamento é para a Síndrome de West, um tipo grave de epilepsia. E, por enquanto, o bebê guerreiro segue sem previsão de alta.

“Tudo para ele é mais complicado. Mas era esperado que tivesse probleminhas até adquirir imunidade. Ele também é cardíaco. Então, qualquer coisa que tenha, a gente corre com ele”, diz a avó.

A vida de Yago virou notícia em 2 de março de 2017. O feto sobrevivia no ventre da mãe Renata Souza Sodré, que teve morte cerebral. Inédito em Mato Grosso do Sul, ele se somava a uma estatística de 35 casos no mundo.

Com os risco explicados à família e acompanhado pela Comissão de Ética do hospital, começou a administração diária de medicamentos que garantia a sobrevivência do bebê. Yago nasceu às 11h de 31 de março do ano passado, com seis meses, 34 centímetros e um quilo. Com saúde frágil, foi quase um mês até poder ganhar o primeiro abraço do pai.

Entre sustos e esperança, o menino ganhou peso e no fim de agosto deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Com 43,8 centímetros e 1,6 quilos, chegava a vez de encarar a vida longe da incubadora.

No mês de novembro, foi a vez de conhecer o mundo fora do hospital. O bebê teve alta e foi para a casa da família. Desde então, conforme as dificuldade de saúde, encara idas e vindas da Santa Casa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions