A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

08/12/2018 16:05

Com horário ainda indefinido, clientes lotam Centro no sábado

O impasse entre o sindicato dos trabalhadores do comércio e as entidades patronais faz com que o comércio não funcione até mais tarde

Izabela Sanchez, Bruna Pasche e Mirian Machado
Consumidores caminham no centro da cidade na tarde de sábado (8) (Foto: Henrique Kawaminami)Consumidores caminham no centro da cidade na tarde de sábado (8) (Foto: Henrique Kawaminami)

As lojas do centro, na tarde deste sábado (8), exibem filas e o comércio na região está lotado. Os clientes aproveitam a tarde, já que os estabelecimentos não estão funcionando com horário estendido, como geralmente ocorre nesta época do ano. O motivo é um impasse sobre o horário que envolve os sindicatos dos lojistas e dos trabalhadores. Os comerciantes esperam que as lojas comecem com o horário especial a partir de segunda-feira (10).

Flávia Regina de Oliveira Lima, 36 anos, doméstica, veio de Pedro Gomes, a 309 km de Campo Grande e é uma das clientes que lotam o centro na tarde deste sábado. “Tirei o dia para fazer isso, apesar de ter amanhã. Em Pedro Gomes as coisas são muito caras. Uma calça que vale R$ 50 aqui lá pode chegar a R$ 200”, conta.

“A maioria das pessoas vão para São Paulo fazer compras. Como já estou aqui vou aproveitar para levar presenta para todo mundo. Preferi porque sei que mais tarde vai lotar, porque o sol abaixa. O que faltar compro amanhã”, afirma.

Os sindicatos já realizaram quatro reuniões para discutir os termos da negociação para o período de 01 de novembro de 2018 a 31 de outubro de 2019, com destaque para o horário de funcionamento das lojas durante o final de ano. Ainda assim, até agora, não chegaram a um acordo.

Flávia veio de Pedro Gomes para fazer compras na Capital (Foto: Henrique Kawaminami)Flávia veio de Pedro Gomes para fazer compras na Capital (Foto: Henrique Kawaminami)

Welida marques, gerente de uma loja de presentes e capinhas de celular, espera crescimento de cerca de 50% nas vendas quando o horário for estendido. Ela comentou, no entanto, temer o funcionamento até tarde e afirma que a segunda loja que possui vai fechar às 21h.

Quem também aproveitou a tarde para as compras foi a dona de casa Rita Rosa Gomes, 57. Rita, ainda assim, procurava roupa e presenta para formatura. As compras de natal, contou, vai deixar para a última semana. “Aproveitei para vir passear. A noite preciso descansar e não sabia se estava abrindo ou não”, declarou.

Fiscalização - O Sindicato dos Empregados do Comércio de Campo Grande protocolou, na tarde de segunda-feira (3) na Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), um ofício com pedido para que a prefeitura fiscalize o horário de funcionamento das lojas do Centro. O pedido é uma reação ao fato de ainda não haver consenso entre empregados do comércio e os empresários sobre o horário especial de final de ano.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions