A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/04/2015 09:58

Com início às 16h, organização de protesto quer reunir 30 mil nas ruas

Flávia Lima
Expectativa organização é dobrar número de manifestantes. (Foto:Arquivo/Alcides Neto)Expectativa organização é dobrar número de manifestantes. (Foto:Arquivo/Alcides Neto)

Os organizadores do movimento “Chega de Mentiras. Fora Dilma”, esperam reunir pelo menos 30 mil pessoas no protesto que acontece em Campo Grande na tarde deste domingo (12), o dobro registrado na primeira passeata do ano contra a corrupção, ocorrida em março. A concentração será às 16 horas, na Praça do Rádio Clube, região central da cidade.

Assim como ocorreu na passeata do dia 15 de março, aviões deverão fazer novamente sobrevoos sobre o público que vai participar da passeata no domingo (12), em Campo Grande. A organização do movimento, intitulado “Chega de Mentiras. Fora Dilma”, convidou novamente os motoclubes, jipeiros, ciclistas e cavaleiros para integrar a passeata. Porém, eles deverão circular em uma pista exclusiva, na Avenida Afonso Pena, para evitar acidentes.

Para facilitar o trânsito durante a passeata, foram criadas quatro alas para o tráfego dos veículos que irão se juntar a passeata. São aguardados mais de 300 motociclistas, dez jipes e 20 caminhões, além de guinchos. Aviões também devem realizar sobrevoos sobre os manifestantes.

Já a população vai caminhar pela Afonso Pena, no sentido da contramão. Os organizadores fazem um alerta quanto aos grupos que pedem a intervenção militar, alegando que esse tipo de reivindicação não faz parte da pauta de protestos.

Os organizadores irão contar com o auxílio de dois engenheiros, que irão computar o números de participantes através de um sistema conhecido como Jacobs, utilizado para calcular multidões. A grosso modo, o cálculo é feito estimando o número de pessoas por metro quadrado e multiplicam-se os dois números. Caso as pessoas se concentrem de forma desigual, esse dado também é levado em conta.

Em parceria com o trabalho dos engenheiros, haverá voluntários distribuídos ao longo do trajeto para fotografar amostragens de concentração, além dos dados que serão fornecidos por drone.

Cinco pautas irão compor as reivindicações, além do pedido de impeachment de Dilma Rousseff. De acordo com a jornalista Karina Maia, do movimento “Chega de Impostos”, os grupos pedem a extinção do PT, transparência nos empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), investigação da presidente e de seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva, afastamento do ministro do STF (Superior Tribunal Federal) Dias Toffoli, do julgamento de casos da Operação Lava Jato, além da recusa da reforma política proposta pelo governo. Os manifestantes irão se concentrar novamente na Praça do Rádio, de onde sairão ás 16 horas.

Para garantir a tranquilidade do protesto, que reúne muitas famílias e crianças, a Polícia Militar vai reforçar o policiamento na região central através da Operação Brasil Democrático, que vai dobrar o número de policiais em todo o perímetro do Centro. Equipes administrativas e policiais a paisana também estarão presentes no evento.

A operação foi planejada para que não seja necessária a utilização do contingente básico. As guarnições nas Moreninhas, Nova Lima e outros pontos estarão nos bairros, por isso será utilizado o pessoal administrativo, além de efetivo extraordinário do Batalhão de Choque, Bope, Cavalaria e Trânsito.

No percurso da manifestação, motos do trânsito devem abrir caminho aos participantes que seguirão da Praça do Rádio Clube até os Altos da Avenida Afonso Pena. Haverá ainda existência de pontos de controle para evitar danos ao comércio e órgãos públicos, além de policiais a paisana.

Conforme o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Deusdete Oliveira, mesmo que a preocupação maior seja na dispersão dos participantes, a expectativa é que se repita o clima de tranquilidade durante manifestação semelhante no dia 15 de março.

Interior - Já no interior , a maior manifestação vai acontecer em Dourados, onde o ato começa às 15 horas e deve contar com entidades patronais e sindicatos contrários a aprovação da PL 4330, que regulamenta a terceirização dos serviços.

A concentração será na Praça Antônio João, região central do município e a passeata percorrerá a venida Marcelino Pires, que também contará com reforço policial. A expectativa é reunir seis mil manifestantes. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions