ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Com nova faixa a ser imunizada, idosos de 80 ficam perdidos na fila da vacina

Calendário foi retomado para pessoas de 78 e 79 anos

Por Tainá Jara | 02/03/2021 16:57
Idosos com mais de 80 anos procuraram por vacina na UBS 26 de Agosto, no Bairro São Francisco, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)
Idosos com mais de 80 anos procuraram por vacina na UBS 26 de Agosto, no Bairro São Francisco, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)

Grupo de idosos a partir de 80 anos, que perdeu a primeira etapa da vacinação contra covid-19, enfrenta dificuldade para se vacinar nas unidades de saúde de Campo Grande agora. Apesar da prefeitura garantir que essas pessoas ainda podem recorrer ás unidades de saúde e até ao drive-thru do Parque Ayrton Senna, leitores enviaram relatos ao Campo Grande News dizendo que não conseguiram imunizar os pais.

Após mais de dez dias suspenso, o calendário vacinal foi retomado para idosos de 79 e 78 anos, mas muitas pessoas mais velhas ainda estão sem a primeira dose porque perderam o prazo inicial. O temor dos familiares e eles ficarem no final da fila diante da falta de estoque do imunizante.

De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), são aproximadamente 18 mil nesta faixa etária na Capital. Cerca de 14 mil receberam a primeira dose. Os outros 4 mil agora precisam de paciência, porque vai depender da disponibilidade de doses nos postos da cidade.

Descuido de familiares, no entanto, não é o único motivo para ter perdido a primeira fase da vacinação. Alguns estavam doentes e há casos de pessoas que ainda não tinham completado 80 anos na ocasião da imunização. Para quem buscou informação sobre esse lapso temporal, a Secretaria informou que as unidades estariam abertas para continuar vacinando este público, o que não está ocorrendo em alguns lugares.

A preocupação do professor universitário Márcio Ribas, 42 anos, é com o emocional da avó se soma a preocupação de contaminação, diante da frustração em não conseguir receber a primeira dose da vacina. Dona Adélia completou 80 anos enquanto o calendário estava suspendo e agora não consegue se vacinar.

Conforme o neto, eles procuraram a UBSF (Unidade de Básica de Saúde) do Jardim Batistão, nesta terça-feira, mas tiveram de voltar para casa sem receber o imunizante. Ao contrário do informado pels Sesau, sobre a possibilidade de vacinação hoje, os servidores alegaram que deveriam vacinar apenas idosos de 79 anos hoje e, se sobrar doses, idosos de fases anteriores poderão ser vacinados no final de semana, como ocorre desde o início da campanha, com a "repescagem" aos sábados.

Desta forma, os dias de voltar a frequentar os bailes de que tanto gosta a senhora ficam ainda mais longe. O temor é ela ficar para o final da fila. “Por mais que tentaram organizar, o que está acontecendo é um gigantesco fura fila. Não faz sentido eles perderem o direito. Não é só a falta da vacina, mas como isso tá mexendo com o psicológico dela”, explicou o professor.

O emocional também é preocupação da advogada Tânia Karla Rodrigues, 43 anos. Ela tenta vacinar a mãe de 80 anos há dias semanas, quando o calendário ainda estava suspenso. Com a retomada da iniciativa, ela já levou a mãe no drive-thru do Parque Ayrton Senna e na UBS do Cel. Antonino, mas não conseguiu vaciná-la.

Quando a imunização foi aberta para idosos de 80 anos, a mãe de Tânia, Leida Rodrigues, estava com infecção urinária e sintomas de gripe. Não tomou a vacina por recomendação médica. Mesmo apresentando o laudo com essa justificativa, ela não conseguiu garantir o direito da mãe de receber a primeira dose.

"Ela entrou num processo meio depressivo, depois que não conseguiu tomar a vacina. Por causa da ansiedade que ela estava. Ela ficou ainda pior, porque a irmã mais nova dela, de 75 anos, mandou foto sendo vacinada em Brasília e ela até agora não conseguiu ser vacinada. Ela não está bem”, explicou.

Em nota, a Sesau afirmou que  vacinação contra Covid-19 nas unidades de saúde da Capital acontecem somente no período da tarde, não havendo nenhuma dose disponível pela manhã, uma vez que é feito o transporte das doses.

A secretaria reforçou que apenas em casos pontuais é possível realizar a vacinação da primeira dose naquelas pessoas que se enquadram no grupo prioritário, mas que não conseguiram fazer a aplicação no momento oportuno.

Vacinação - Iniciada em Mato Grosso do Sul no dia 18 de janeiro, a vacinação foi suspensa no dia 15 de fevereiro, na Capital, por falta de doses, sendo retomada na última sexta-feira, com preferência para trabalhadores dos serviços de saúde com mais de 60 anos e que atuam em clínicas de diagnóstico, laboratórios, farmácias, consultórios, clínicas veterinárias, centro de tratamento oncológicos e pequenos hospitais. Nesta segunda-feira, o calendário foi retomado para idosos de 79 anos.

O estoque é limitado. Foram 47.462 doses enviadas para primeira aplicação e 16.993 para a segunda dose.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário