A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/06/2013 15:57

Com princípio de infarto, idoso espera 12 horas por ambulância do Samu

Aliny Mary Dias
Idoso esperou por ambulância durante 12 horas no posto de saúde do bairro (Foto: Marcos Ermínio)Idoso esperou por ambulância durante 12 horas no posto de saúde do bairro (Foto: Marcos Ermínio)

A família de um idoso de 77 anos teve de esperar 12 horas por uma ambulância do Samu (Serviço Móvel de Urgência). O homem, identificado como Rubens, teve princípio de infarto por volta das 22h30 de ontem (16) e ficou no posto de saúde do bairro Moreninhas 3 até o fim da manhã de hoje.

Os familiares pediram para que o sobrenome do paciente fosse preservado com medo de represálias. O filho do idoso, Eduardo, disse ao Campo Grande News que o pai tem problemas no coração há 25 anos e começou a passar mal na noite de ontem.

Os parentes levaram Rubens até o posto de saúde do bairro e, segundo o filho, o pai teve um ótimo atendimento. “O procedimento deles foi muito bom, meu pai foi entubado e estabilizado”, explica o filho.

Os problemas começaram depois que os médicos solicitaram uma ambulância do Samu e uma vaga no Hospital Universitário ou Hospital Regional para que Rubens pudesse ser transferido.

O estado de saúde do idoso se agravou e depois de inúmeras ligações e até ameaça de um boletim de ocorrência, o filho resolveu tirar o pai do posto de saúde e levar para casa. Um dos médicos voltou a entrar em contato com Eduardo e por conta do estado grave do idoso, o filho resolveu retornar com o pai para o posto.

A ambulância do Samu só chegou ao posto por volta das 10h40, 12 horas depois do horário da internação do idoso. Conforme Eduardo, as inúmeras ligações e pedidos de socorro fizeram com que a família se sentisse impotente diante da situação.

“Eu me sinto de mãos atadas. Os médicos viam meu pai ir embora, mas não podiam fazer nada. Agora eu vou cuidar do meu pai e depois vou tomar alguma providência”, afirma o filho do idoso.

A família avalia se irá entrar com alguma ação judicial contra as autoridades em razão da demora da ambulância.

Renegociação de dívidas com a Águas Guariroba segue sendo realizada
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Com inspiração japonesa, luzes vão iluminar compras no Centro
Iluminação especial passa a ser adotada, nesta quarta-feira (13), na região central de Campo Grande. Dezesseis estruturas de alumínio, com lâmpadas d...


No dia 30/07/2012, à quase um ano meu esposo sofreu um acidente em Carapicuíba, foi socorrido para o Hospital Central de Carapicuíba(São Camilo) no qual prestaram os primeiros socorros, no qual o dedo polegar esquerdo foi descepado por uma corda, foi cedida uma vaga para implantar o dedo no Hospital das Clinicas, no qual ficou cinco horas esperando uma ambulância do SAMU para remoção, enfim ele perdeu o dedo pois passou do tempo do implante, e como cidadão ninguém foi punido, somente ele mesmo!!!
 
maria alves lima em 21/06/2013 21:54:21
Ambulâncias sempre perde tempo atendendo esses malditos cachaceiros, que provocam acidentes graves e infelizmente não morrem.
É revoltante, ver SAMU e Bombeiros perdendo tempo com esse bando de suicida, que enchem a cara de todo tipo de droga. Quando um cidadão de bem passa mal, fica na situação desse pobre senhor a mercer da sorte.
Prioridade em atendimento, deveria ser aos DOENTES e vítimas dos cachaceiros, beeeem depois, atender os mamados. Assim, sentiriam um pouco de dor, quem sabe tomaria consciência da M...fazem.
 
Juan Charlymoon em 18/06/2013 11:04:22
A ambulância é o de menos... Pior é não ter vaga nos hospitais e ter que ficar dentro da ambulância em porta de hospitais.
 
Mariana Lúcia em 17/06/2013 20:58:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions