ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Com quase 2 horas de atraso, 1º dia de vacinação contra gripe frustra público

Na UBS, do bairro Tiradentes, não faltaram reclamações e desistências

Por Natália Olliver e Idaicy Solano | 21/03/2024 08:59
No posto Tiradentes, imunização começou com quase 2 horas de atraso ( Foto: Marcos Maluf)
No posto Tiradentes, imunização começou com quase 2 horas de atraso ( Foto: Marcos Maluf)

A vacinação contra gripe começou atrasada na Capital nesta quinta-feira (21). A previsão era que os profissionais de saúde iniciassem a aplicação das doses às 7h30, mas na USF Dr. Antônio Pereira, no bairro Tiradentes, ela teve início apenas às 8h45. Quem chegou cedinho para garantir os imunizantes se frustrou. O atraso fez com que inúmeras pessoas desistissem. Paulo de Paula, de 67 anos, era o primeiro da fila no local. O vendedor chegou antes do horário previsto e quase foi embora sem a dose.

"Você vê que até algumas pessoas já desistiram da fila por causa da demora. Eu cheguei aqui às 6h30. A importância é que a gente vê, que por exemplo, depois que começou a vacinar o pessoal, até da covid e outras coisas mais, já se acalmou (a doença). Então tem gente que não acredita, mas se tem a vacina, é porque foi aprovada, né?”, comenta sobre a importância da vacinação.

Paulo de Paula foi o primeiro na fila, na UBS do bairro Tiradentes (Foto: Marcos Maluf)
Paulo de Paula foi o primeiro na fila, na UBS do bairro Tiradentes (Foto: Marcos Maluf)

A manhã foi ainda pior para Leonilda Rodrigues, de 56 anos. Ela faz parte do grupo prioritário, devido ao tratamento de câncer, e foi embora sem se vacinar. Segundo ela, pela exigência de apresentação de laudo médico que atestou a comorbidade. Leonilda também chegou às 6h30 na unidade.

"Um absurdo, por isso que o pessoal não vem. Aí você quer sair do trabalho e passar aqui rapidinho e tem que esperar mais de uma hora. Tá uma desorganização essa vacinação. Ninguém me avisou que precisava do laudo. Apresentei minha carteirinha de tratamento e eles não aceitaram. Por que acham que eu andaria com isso aqui? Acham que é falso? Um descaso total. Fiquei uma hora esperando pra não vacinar."

(Foto: Marcos Maluf)
(Foto: Marcos Maluf)

A dona de casa Maria Luiza Feitosa, de 66 anos, comenta que procurou a unidade para garantir a imunização logo no primeiro dia. Ela comparece em todas as campanhas de vacinação e garante que o ato faz a diferença. "É muito bom porque a gente não vai pra cama e não piora as coisas. Quanto mais a gente correr rápido (pra se vacinar) é melhor, porque a gente não fica prostrada numa cama doente".

A atendente Fabiana Torres, de 30 anos, trouxe a filha de 8 anos, Isabele Christine, para se vacinar. Ela acredita que manter a caderneta de vacinação das crianças é prioridade. Ela espera pela liberação da vacina da dengue para faixa etária da filha.

Fabiana Torres levou a filha para vacição e aguarda pelo imunizante da dengue (Foto: Marcos Maluf)
Fabiana Torres levou a filha para vacição e aguarda pelo imunizante da dengue (Foto: Marcos Maluf)

"Proteção por conta da escola. Tá tendo casos de novo, de gripe, de tudo que é tipo de doença, então proteção mesmo. Inclusive, tô esperando a dengue, né? Eu tô bem ansiosa. Quando tiver a campanha, também vou trazer ela”.

Já no posto 26 de Agosto, quem foi até a unidade para receber o imunizante deu de cara com o aviso no portão. “Atenção, reunião geral dia 21, das 7h30 às 9h30”.

Vacinação - As doses contra a gripe, causada pelo vírus influenza, estão disponíveis em mais de 70 unidades de saúde da Capital. A princípio somente para grupos prioritários. O início da campanha nacional de imunização contra a doença será em 25 de março, mas a Capital a antecipou por já ter recebido o primeiro lote com 35.170 vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde.

Confira quais grupos podem se vacinar prioritariamente: 

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos; Pessoas de 60 anos e mais; Gestantes; Puérperas; Indígenas vivendo fora ou dentro de terra indígena; Trabalhadores de saúde; Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos); Adolescentes em medidas socioeducativas (menores de 18 anos); População privada de liberdade (18 anos e mais).

Também está liberada a vacinação para funcionário do sistema de privação de liberdade; Comorbidades; Professores; Pessoas em situação de rua; Membros de forças de segurança e salvamento; Caminhoneiros; Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso e Trabalhadores portuários.

A reportagem entrou contato com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), para verificar se o atraso foi pontual ou em todas as 70 unidades de saúde. Em resposta, ela firma que a informação de atraso não procede.

"A vacinação inicia-se às 7h30, contudo, como no horário de abertura já havia fila para a vacinação no local, alguns pacientes que chegaram antes deste horário podem ter sido, de fato, atendidos posteriormente, contudo a aplicação das doses iniciou no horário previsto"

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias