ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Com Três Barras interditada, motociclistas usam calçada como ‘desvio’

Jeozadaque Garcia e Francisco Júnior | 20/03/2012 19:05
Com avenida em obras, motociclistas optam por caminho mais curto para chegar aos bairros. (Foto: Marlon Ganassin)
Com avenida em obras, motociclistas optam por caminho mais curto para chegar aos bairros. (Foto: Marlon Ganassin)

Com um longo trecho da avenida Três Barras interditado para obras, motociclistas desrespeitam as leis de trânsito e usam a calçada como desvio para evitar trajetos mais longos no bairro Rita Vieira, região sul de Campo Grande.

Três obras são executadas no trecho entre a avenida Interlagos e a rua Rotterdan, já no bairro Rita Vieira: dois quebra-molas, construção de uma rotatória para facilitar o acesso a um condomínio e reparos na rede de esgoto.

“Não dá pra fazer um desvio muito grande e eu estou com pressa. A maneira que encontrei foi essa: passar sobre a calçada”, reconheceu o pintor Ednaldo Pereira, de 33 anos.

A reportagem do Campo Grande News permaneceu no local por cerca de uma hora e flagrou diversos motociclistas que passaram pela calçada. Pouco antes da construção dos quebra-molas, o asfalto foi quebrado, impedindo a passagem também das motos.

“Moro no Itamaracá e não vou pegar um desvio grande para chegar em casa”, diz, taxativo, o pedreiro Edivan dos Santos, de 38 anos.

O trânsito está complicado na região. Com as obras, o condutor que trafega pela Três Barras no sentido Rita Vieira deve descer na Interlagos e entrar na Luiz Alves. Depois, segue até o final da via e entra na Rotterdan, para finalmente chegar no bairro.

No trecho, não há placas de sinalização ou agentes de trânsito. Apenas funcionários das obras que orientam o fluxo. Eles garantiram que as obras dos quebra-molas e da rotatória terminam na sexta-feira. Já a de esgoto não tem previsão de término.

“Não tem nenhum aviso e tive que voltar”, comentou a motorista Débora Caroline, de 25 anos, que seguia para um posto de gasolina.

Não há sinalização na via e motoristas reclamam. (Foto: Marlon Ganassin)
Não há sinalização na via e motoristas reclamam. (Foto: Marlon Ganassin)
Nos siga no Google Notícias