A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

08/10/2011 10:45

Condutora invade preferencial, bate e capota carro na Vila Progresso

Paula Maciulevicius

O impacto da batida fez com que o carro capotasse. Na esquina não há qualquer placa de Pare e a faixa na pista está muito apagada

Esquina com sinalização apagada e sem placa de Pare foi cenário do capotamento. (Foto: Fernando Dias)Esquina com sinalização apagada e sem placa de Pare foi cenário do capotamento. (Foto: Fernando Dias)
Condutora do Fiesta foi encaminhada para a Santa Casa. Os dois veículos não tinham seguro. (Fernando Dias)Condutora do Fiesta foi encaminhada para a Santa Casa. Os dois veículos não tinham seguro. (Fernando Dias)

A falta de sinalização causou mais um acidente de trânsito da Capital. Um Fiesta prata invadiu o que deveria ser a preferencial, bateu em um Corolla prata e terminou capotado na calçada entre as esquinas das ruas Thomas Edson e Trindade, na Vila Progresso, na manhã de hoje.

O Corolla seguia pela rua Trindade sentido centro, quando a motorista do Fiesta que transitava na rua Thomas Edson, também em direção ao centro, entrou e bateu. O impacto fez com que o carro capotasse. Na esquina não há qualquer placa de Pare e a faixa na pista está muito apagada.

A condutora do Fiesta, técnica em enfermagem Katiuscia Garcia Nantes, de 30 anos, teve de ser retirada pelo Corpo de Bombeiros do carro que ficou com as rodas para cima. Apesar dos estragos da batida, Katiuscia foi encaminhada para a Santa Casa com ferimentos leves, segundo informou o Corpo de Bombeiros.

Conforme o motorista do Corolla, Joaquim Marques Viana, 37 anos, ele seguia pela rua Trindade quando o Fiesta cruzou na frente.

“Eu vinha na velocidade normal, nem deu tempo de frear, do jeito que ela entrou, bateu”, conta.

Joaquim havia acabado de tirar o carro da oficina, de um conserto no para-choque. Os dois veículos envolvidos no acidente não tinham seguro.

O ex-marido de Katiuscia, Rodrigo Antônio Cáceres, foi ao local logo que soube do acidente. Por telefone ele teve as informações de que a vítima não se lembrava de nada e que passava por exames.

“Ela tinha acabado de deixar o nosso filho na competição de Judô. Graças a Deus ele não estava junto”, comenta.

O morador Antônio Belo Oliveira, de 65 anos, saiu de casa assim que ouviu o barulho da batida. “Esse foi feio”, comenta. Segundo ele, acidentes viraram rotina nas esquinas e o que poderia evitar seria mais sinalização.

“Falta sinal, precisa ter um redutor de velocidade. Tem uma lombada lá para trás, mas é aqui que o pessoal vem rachando”, descreve.



E o povo não perde a mania de culpar as 'autoridades' pela imprudência dos próprios condutores. A Rua Trindade, por mais problemática que seja, todo mundo sabe que é preferência de 'cabo a rabo'. Daí quem vem na transversal, como é o caso da Thomas Edson TEM a obrigação de PELO MENOS diminuir a velocidade. Ou seja, falta de atenção...
 
arthur donavann em 09/10/2011 09:52:01
O que falta não é sinalização e sim consciência do motoristas que dirigem sem prestar atenção no transito,ontem sofri um acidente quase da mesma maneira que esse.
Estava no meu carro com minha familia incluindo um bebê de 1 ano e 8 meses que graças a deus estava na cadeirinha, mais um motorista imprudente invadiu a preferencial que era muito bem sinalizada e colidiu com meu carro.
 
lisiane barreto em 09/10/2011 06:59:46
Não é só falta de sinalização. Falta bom senso, educação,... e principalmente humildade por falta dos condutores.
 
Marcelo Max em 08/10/2011 12:30:29
Essa Rua Trindade e um gargalo de quem vêm da saída de São Paulo e outros bairros, o volume de veículos no período da manhã. Os poucos semáforos que tem não são sincronizados, unindo a imprudência e os desrespeitos das leis viram TRAGEDIA.
Cadê nossas autoridades?
 
Marco Antonio em 08/10/2011 11:53:24
Hora de parar e repensar nossos conceitos em relação ao transito, pois independente de preferencial, o indispensavel é a atenção, o que anda faltando aos motoristas de nossa cidade....
 
NOEMIA GOMES em 08/10/2011 08:05:38
A cidade inteira não tem sinalização, as autoridades nem andam nas rua de Campo Grande. Vejam se tem algum sinal de pedestres no centro funcionando. As ruas são verdadeiras pistas de corrida sem sinalização como a Zarahn.
 
Marco Stuani de Campo Grande em 08/10/2011 06:58:02
Nesse caso não precisa de autoridade para saber qual o problema, quando estamos na auto escola vemos no manual do transito, regras para circulação, mais vemos também que as mesmas sempre são ignoradas.
 
Oswaldo Benites em 08/10/2011 05:03:19
A trindade é continuação da Rui Barbosa, apos ser ligada com o asfalto da via morena, acumulou todo o transito da região sul, que demanda ao centro. Transferindo da Costa e Silva para a Trindade mais ou menos 70% do transito anterior. Ela é uma rua de transito rápido e de fácil acesso. Possuindo acessos de pontos diversos da cidade, o que demanda novo estudo pelo setor de transito para esta via.
 
luís Eloy Alves da Costa em 08/10/2011 04:42:15
Lamentavel, mas, e a direçao defensiva.
 
Luciano Rosa em 08/10/2011 02:21:11
Não devemos só responsabilizar as autoridades de trânsito pelos acidentes, mas sim os condutores tambem que excedem a velocidade máxima permitida na via. Candidatos a habilitação(CNH) aprenderam que veículos transitando por fluxos que se cruzem, se aproximarem de local não sinalizado terá a preferência de passagem aquele que vier pela direita do condutor. A condutora deveria partir desse principio
 
Luciano Sulgueiro em 08/10/2011 01:45:02
A pára.....a Trindade é a continuação da Rui Barbosa....não precisa ser gênio pra saber que ali é a preferencial e além do mais a pessoa tem que ter cuidado, imagina se é um pai de família com o filho na moto, por causa do "não conhecimento" da região causaria uma tragédia...e é óbvio que se vc esta saindo de um bairro pra uma avenida movimentada a preferencial é da avenida.
 
Lúcio Wagner em 08/10/2011 01:14:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions