ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Convênio com Exército está acima de preço e Prefeitura negocia desconto

Secretário explicou que esta diferença é porque órgão terá de trazer máquinas, equipamentos e até os profissionais de outras unidades

Por Yarima Mecchi | 23/01/2017 10:11
Militares durante vistoria na avenida Bandeirantes em setembro de 2016. (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)
Militares durante vistoria na avenida Bandeirantes em setembro de 2016. (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)

Fixado em R$ 24 milhões, o convênio do Exército com a Prefeitura de Campo Grande para recapear o corredor de transporte coletivo sudoeste tem o preço maior que o cobrado por empresas privadas, segundo o secretário municipal de Obras, Rudi Fiorese. O Executivo da Capital começou a discutir um desconto no contrato, de R$ 2,1 milhões.

De acordo com Prefeitura, pela planilha do Exército, o valor final da obra sairia por R$ 24 milhões, sendo R$ 4,5 milhões com custos indiretos e R$ 19,5 milhões com o recapeamento propriamente dito. Na planilha das empresas, o preço final seria R$ 21,9 milhões, com R$ 2,4 milhões de custo indireto.

"Essa diferença a gente está negociando com o Exército para chegar a esse valor e cobrar o valor de mercado", destacou.

Os chamados custos indiretos são basicamente o de instalação dos canteiros de obras e depreciação de equipamentos. Conforme a nota divulgada pela Prefeitura, "sem esta revisão, a obra executada pelos militares sairia 8,75% mais cara do que se fosse feita por uma empresa privada".

A obra abrange recapeamento de 12 quilômetros de vias, incluindo as ruas Guia Lopes, Brilhante, Marechal Deodoro e Bandeirantes. Segundo a prefeitura somente a partir destas adequações é que será dada ordem de serviço para fazer o recapeamento do primeiro trecho, previsto para fevereiro.

O secretário explicou que esta diferença é porque o Exército terá de trazer máquinas, equipamentos e até os profissionais de outras unidades, inclusive fora do Estado. "Tivemos uma primeira reunião na semana passada. Está fluindo bem, acredito que vai chegar ao acordo", destacou.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também

Regras de comentário