ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Custas de processos já podem ser parceladas no cartão de crédito

Pagamentos podem ser feitos em 12 vezes, com valor mínimo de R$ 5

Por Kamila Alcântara e Fernanda Palheta | 15/04/2024 18:12
Desembargador Sérgio Fernandes Martins assina contrato com portal de parcelamento de custas judiciais (Foto: Alex Machado)
Desembargador Sérgio Fernandes Martins assina contrato com portal de parcelamento de custas judiciais (Foto: Alex Machado)

Durante solenidade de lançamento do Programa Restitua, na tarde desta segunda-feira (15), o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) também oficializou a nova ferramenta para parcelamento, no cartão de crédito, das custas de qualquer processo judicial. Os pagamentos podem ser feitos em 12 vezes, com valor mínimo de R$ 5.

Segundo o desembargador Sérgio Fernandes Martins, a ideia surgiu no ano passado, em uma sessão do Conselho Seccional da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul). Na oportunidade, foi até oficializado o uso do Pix para pagamento de taxas judiciárias.

“Agora tem possibilidade de parcelamento das custas judiciais através de parcelamento das várias bandeiras. Então, aquele que vai ingressar no Judiciário pode dividir, porque muitas vezes não tem condição de pagar tudo de uma vez”, explica o desembargador.

Os parcelamentos podem ser feitos através do site parcelamostudo.com.br e serão aceitas as bandeiras Visa, Mastercard, Elo, Visa Electron, Mastercard Maestro. Atualmente, o portal atende Detrans (Departamentos Estaduais de Trânsito) de 6 Estados e 30 prefeituras. Por lá, é possível quitar débitos com os órgãos públicos e até recarga de celular.

Página inicial do site parcelamostudo.com.br (Foto: reprodução)
Página inicial do site parcelamostudo.com.br (Foto: reprodução)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias