ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 

Capital

De favela a condomínio: sorteados se preparam para receber chaves de Bolsonaro

Prefeitura faz limpeza e patrolamento no entorno do Residencial Canguru que será entregue na quinta-feira

Por Caroline Maldonado e Cleber Gellio | 28/06/2022 11:30
Funcionário faz limpeza em frente a residencial a serviço da Prefeitura de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)
Funcionário faz limpeza em frente a residencial a serviço da Prefeitura de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)

A favela Mário Covas tem moradores antigos que foram sorteados para morar logo em frente, nos apartamentos do condomínio Residencial Jardim Canguru, na região Sul de Campo Grande. Hoje (28), o local começa a ser preparado para um momento oficial, vai receber o presidente Jair Bolsonaro (PL), na quinta-feira (30).

Equipes da prefeitura fazem limpeza e até patrolamento ao redor. Entre os futuros moradores, o clima é de ansiedade pela moradia própria. Alguns não pretendem participar da entrega e outros irão, mas não preparam nada especial para a vinda do presidente. A comunidade resolveu deixar a política de lado para não polarizar o evento.

“Muitas pessoas gostam e outras não”, resume a síndica do condomínio, Cléia Antunes Araújo, de 38 anos.

Síndica do condomínio, Cléia Antunes Araújo, de 38 anos. (Foto: Marcos Maluf)
Síndica do condomínio, Cléia Antunes Araújo, de 38 anos. (Foto: Marcos Maluf)

Mas a preocupação com manifestações contra ou a favor existe. “Não está sendo preparado nada por parte dos condôminos. No grupo de Whatsapp, já pedi a eles que mantenham o respeito e a ética para que tudo caminhe bem na quinta-feira”, diz a síndica ao acompanhar a limpeza que a prefeitura faz no local.

Em frente, a favela tem vários formatos de moradia, alguns barracos e algumas casas muito simples de alvenaria. Nem todos foram contemplados pelo sorteio do condomínio.

Há nove anos no local, a babá Aline Souza de Arruda, de 25 anos, vai se mudar. O irmão dela, Cleiton Souza de Arruda, de 26 anos, foi contemplado pelo sorteio.

“Meu pai morava aqui. Ele faleceu com 71 anos e não teve a oportunidade de ter uma moradia digna. Nunca tivemos casa própria”, comenta Aline.

Babá Aline Souza de Arruda, de 25 anos, moradora da favela Mário Covas que vai se mudar para residencial. (Foto: Marcos Maluf)
Babá Aline Souza de Arruda, de 25 anos, moradora da favela Mário Covas que vai se mudar para residencial. (Foto: Marcos Maluf)

O autônomo Jamilson da Silva Souza, de 28 anos, mora na Rua Betóia há quatro anos e meio e há oito meses perdeu a esposa, com quem era casado há dez anos. A mulher, que era diarista, morreu após o parto.

Jamilson agora vai ter uma casa para morar com os quatro filhos, de 6, 5, 3 anos, além do bebê de 8 meses de vida.

Quem tem comércio na região quer saber é do movimento que a entrega dos apartamentos e a vinda do presidente trará. A comerciante Nilza Vargas já pensa em reforçar o estoque, na rua lateral ao novo condomínio.

“Fiquei sabendo que o presidente vem. Vamos ter que nos arrumar para quinta-feira. Vou me preparar, aumentar estoque de água, refrigerante e salgadinhos porque vai ter mais movimento”, comenta Nilza.

Comerciante Nilza Vargas tem mercado ao lado do novo residencial. (Foto: Marcos Maluf)
Comerciante Nilza Vargas tem mercado ao lado do novo residencial. (Foto: Marcos Maluf)

Condomínio - O Residencial Canguru teve investimento de R$ 29 milhões, sendo R$ 24 milhões do Governo Federal, por meio do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial), e R$ 5 milhões em contrapartida do Estado. Além disso, a Prefeitura de Campo Grande doou o terreno. Os apartamentos estão sendo adquiridos por meio do Programa Casa Verde e Amarela.

No local, há cinco blocos de quatro andares, com quatro apartamentos por pavimento, além de infraestrutura completa, com drenagem, esgoto, água, pavimentação, energia elétrica e iluminação pública. Nas proximidades, há transporte público, creches, escolas, postos de saúde e de segurança.

Máquinas da Prefeitura de Campo Grande fazem patrolamento no entorno de residencial. (Foto: Marcos Maluf)
Máquinas da Prefeitura de Campo Grande fazem patrolamento no entorno de residencial. (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias