ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 34º

Capital

Demora da prefeitura faz cidade perder verba para reforma de terminais

Por Aline dos Santos | 09/01/2017 10:33
Reforma do terminal Guaicurus saiu das obras prioritárias. (Foto: Alcides Neto)
Reforma do terminal Guaicurus saiu das obras prioritárias. (Foto: Alcides Neto)

Previstos no Pacto da Mobilidade, a reforma de terminais e requalificação de avenidas por onde passa o transporte coletivo em Campo Grande entraram na lista de projetos insubsistentes do Ministério das Cidades.

De acordo com a portaria publicada em 30 de dezembro, as propostas para execução de empreendimentos de mobilidade urbana nesse eixo do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento) não foram objeto de assinatura de termo de compromisso.

As propostas foram inseridas no Pacto da Mobilidade em 28 de julho de 2014. Tendo como fonte o OGU (Orçamento Geral da União), os projetos eram para: qualificação dos eixos estruturadores de transporte coletivo nas avenidas Mato Grosso, Tamandaré, Mascarenhas de Moraes, Ernesto Geisel e rua Dr. Euler de Azevedo; e reforma dos terminais Moreninhas, Guaicurus e Bandeirantes.

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério das Cidades, os projetos continuarão prioritários na medida em que forem importantes para a mobilidade de Campo Grande. Ainda segundo o ministério, com o cenário econômico e as dificuldades enfrentadas por Estados e municípios, houve revisão da carteira de projetos.

“Havia um conjunto grande de empreendimentos selecionados a mais de 1 ano, em que os entes federados não conseguiram apresentar a documentação necessária para contratação, foi o ocorrido com esses empreendimentos na cidade de Campo Grande”, informa o Ministério das Cidades.

Para cada projeto, foram analisados a capacidade de conclusão e a efetividade dos empreendimentos. “Os Estados e Municípios que tenham avançado no desenvolvimento de seus projetos e que tiveram sua seleção tornada insubsistente poderão ingressar com projetos mais maduros em futuras seleções do Ministério das Cidades”, diz a assessoria.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos para saber sobre a situação dos projetos. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário