ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Denunciada por curso de bombeiro civil na Capital, escola afirma que é regular

Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, que fiscaliza os cursos, ainda não se manifestou

Por Cassia Modena | 20/06/2024 08:18
Alunos de Uberlândia (MG) e Goiânia (GO) da Jovem Profissional fazendo a etapa prática do curso de bombeiro civil (Foto: Divulgação/Site da escola)
Alunos de Uberlândia (MG) e Goiânia (GO) da Jovem Profissional fazendo a etapa prática do curso de bombeiro civil (Foto: Divulgação/Site da escola)

Após o Campo Grande News publicar ontem (20), denúncia recebida sobre irregularidades em curso de bombeiro civil oferecido a 80 alunos em um hotel de Campo Grande por escola sediada no Rio Grande do Sul, a instituição se manifestou.

Na resposta, o diretor Gilberto Santos de Melo defende que a Escola Técnica e Faculdade Jovem Profissional promove o curso cumprindo todas as exigências legais, inclusive fora de seu Estado de origem. Ele acrescenta que a instituição existe há 25 anos.

Diz a denúncia divulgada que o curso é realizado sem que a escola e o instrutor fossem credenciados junto ao Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, como exige a Lei Estadual n.º 4.335/2013.

Gilberto rebate. "Nossa instituição foi apenas notificada para apresentar a documentação necessária, como de praxe em todos os estados brasileiros para ministração de cursos profissionalizantes, o que foi prontamente atendido pela nossa empresa que já está em contato com a corporação", disse.

O diretor assegura que a documentação foi entregue até antes do prazo previsto em lei, porém, a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros não confirma.

"Até o momento não protocolaram o cadastro da empresa. Já apresentaram a maioria da documentação, mas ainda faltam alguns que estão pendentes. Enquanto não estiver totalmente concluído o processo, não poderão realizar qualquer curso", pontuou a corporação sul-mato-grossense.

Local - Quanto às aulas ocorrerem em um hotel, local sem a estrutura necessária para formar bombeiros civis de acordo com a denúncia, o responsável justifica que o espaço é usado somente para ensinar o conteúdo teórico.

"Nossa instituição dispõe de infraestrutura adequada para a formação de bombeiros civis, com ambientes preparados, equipamentos e laboratórios necessários para as aulas práticas e teóricas. A utilização de um hotel para a realização das aulas teóricas não compromete a qualidade do ensino, uma vez que o local é devidamente adaptado para tal fim e cumpre as exigências do CNBC (Conselho Nacional de Autorregulamentação de Bombeiros Civis)", afirmou Gilberto.

Outro caso - No mês passado, o Campo Grande News mostrou que outro curso assim foi fechado por equipe do Corpo de Bombeiros em Campo Grande durante uma aula. O nome da escola responsável não foi divulgado pela corporação.

O motivo foi a falta de credenciamento, o mesmo apontado na denúncia relacionada à Escola Técnica e Faculdade Jovem Profissional.

As aulas eram ministradas numa sala de aula alugada na Facsul (Faculdade Mato Grosso do Sul). A Unip (Universidade Paulista), que tem no local um campus, se manifestou por meio da assessoria de imprensa, dizendo que a responsabilidade cabe ao locatário. A instituição também não divulgou o nome da escola.

"Como não tivemos em tempo hábil acesso aos documentos exigidos, num gesto de boa fé, aceitamos essa locação, mas, constatada a irregularidade da atividade do locatário, o contrato será rescindido", declarou em nota, na época.

Matéria editada às 10h09 para acrescentar resposta da assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias