ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 

Capital

Depois de dois ataques, polícia pede que pit bulls sejam retirados do dono

Responsável pelos animais também deve responder por maus-tratos, de acordo com delegado

Por Ana Oshiro | 22/06/2021 11:37
Eros (de coleira preta) e Meg devem ser retirados do atual dono (Foto: Divulgação/PCMS)
Eros (de coleira preta) e Meg devem ser retirados do atual dono (Foto: Divulgação/PCMS)

Depois de dois ataques a outros cachorros, na rua do Pandeiro, no Bairro Tiradentes, os pit bulls Eros e Meg devem ser retirados do atual dono, um homem de 43 anos. Em menos de três meses eles escaparam da casa que vivem e arrancaram dois cachorros de dentro de residências da rua. Um dos animais foi morto pelo casal de pit bull, em abril deste ano.

De acordo com o delegado Maércio Barboza, titular da Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), além de oferecem risco para as pessoas da região e outros animais, os cães também sofrem risco de sofreram maus-tratos, já que não são cuidados pelo dono e escapam da residência com frequência.

Marcas de sangue do lhasa apso, atacado no último domingo, ficaram em calçada (Foto: Henrique Kawaminami)
Marcas de sangue do lhasa apso, atacado no último domingo, ficaram em calçada (Foto: Henrique Kawaminami)

"Vou instaurar inquérito, esta semana, de maus-tratos contra os pit bulls. Esses animais são colocados na situação de facilidade pra fugir, o dono não está cuidando da maneira correta e expondo eles ao risco de sofrerem ataques dos moradores da rua, que podem ficar com medo ao verem os cães soltos, ainda mais com o histórico de ataques que existe ali", explicou Maércio.

Para o responsável pela Decat, a omissão de cautela também será um dos crimes pelo qual o tutor do cachorros deve responder, já que ele deixa os cães saírem nas ruas mesmo sabendo que eles são perigosos.

Conforme o delegado, ele também vai pedir à justiça que a guarda dos animais seja retirada do atual tutor. "Vou representar pro juiz pedindo que os cães sejam encaminhados para o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), para alguma Ong (Organização não governamental), ou até para um criador especializado na raça, pra que eles possam ser reabilitados e adotados por pessoas que vão cuidar bem dos dois", contou Barboza.

Sangue do cão Beethoven, morto por pit bulls em abril deste ano (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)
Sangue do cão Beethoven, morto por pit bulls em abril deste ano (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)

Ataques - Na noite do último domingo (20) Eros e Meg escaparam de casa e arrancaram um cachorro da raça lhasa apso pela grade do portão de uma residência. O animal foi arrastado por duas quadras até ser resgatado e internado com ferimentos graves.

No dia 6 de abril, deste ano, o casal de pit bull matou um cachorro chamado Beethoven, da raça poodle. O animal tinha 8 anos e teve a cabeça arrancada e o corpo arrastado por uma quadra.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário