A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/04/2014 13:34

Depois de ficarem sem recursos, entidades assinam termo que garante repasse

Luciana Brazil
Diretor -presidente do Cotolengo, padre Braz, assina termo. (Foto:Marcelo Victor)Diretor -presidente do Cotolengo, padre Braz, assina termo. (Foto:Marcelo Victor)

Três entidades da Capital, Hospital Nosso Lar, Salesianos Ampare e Cotolengo, assinaram na manhã de hoje (8) com o secretário Municipal de Saúde, Jamal Salém, o Termo de Cooperação Mútua que garante o repasse de recursos financeiros ou de prestação de serviço por parte da prefeitura.

Desde janeiro, o Hospital Nosso Lar, que atende 160 pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) sofria com falta de médicos cedidos pelo município. A prefeitura deixou de cumprir o acordo na gestão do ex-prefeito Alcides Bernal (PP).

“Ficamos quatro meses sem plantonistas, o que prejudicou muito nossos atendimentos”, disse o diretor administrativo Silvio Pereira de Moura.

Com a assinatura do Termo, oito médicos farão parte do quadro de plantonistas do hospital. Na época do ex-secretário municipal Leandro Mazina, o convênio, que era financeiro, passou a ser de cedência médica.

Para o Cotolengo o retrospecto foi um pouco melhor. A instituição ficou um mês sem receber o recurso de R$ 5,2 mil, dinheiro usado para a operacionalização da entidade. Vivendo de parcerias, doações e eventos, o Cotolengo precisou se "contorcer"para manter os trabalhos sem a verba, mesmo que apenas por um mês.

“Ficamos sem receber no mês de março e tivemos que enxugar as despesas”, disse o diretor presidente do Cotolengo, padre Braz Ricardo.

Para a Associação Salesianos Ampare a prefeitura repassa materiais de consumo, além de disponibilizar um dentista e um auxiliar de saúde bucal. O projeto, que oferece dois programas sociais - sócio-educativo e cursos de aprendizagem – atende mais de 400 pessoas.

Durante a assinatura, o secretário afirmou que ainda há muita coisa para ser feita, mas lembrou que ao assumir o cargo deu prioridade aos casos de emergência na saúde. “Fiz questão de dar celeridade às entidades”.

Para melhorar o quadro atual da saúde no município, Jamal ainda confessou que tem pedido ajuda à ex-secretária estadual Beatriz Dolbashi. “Vamos procurar todo mundo que possa ajudar porque a gente precisa melhorar a saúde”.

Segundo ele, o prefeito Gilmar Olarte (PP) recomendou urgência nos convênios.

O vereador Paulo Siufi (PMDB), membro da Comissão de Saúde na Câmara, ressaltou o trabalho das entidades. “Vocês (instituições) fazem, muitas vezes, um trabalho que nós gestores, talvez, não conseguíssemos fazer. Reconhecemos o valor de cada instituição. Olarte disse que nenhum convênio ficaria parado”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions