ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  19    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Dez escolas são vistoriadas e aprovadas na volta às aulas durante pandemia

Dez instituições particulares foram vistoriadas durante fiscalização do órgão

Por Liniker Ribeiro | 29/09/2020 16:57
Em uma das escolas vistoriadas, orientações quanto a higiene das mãos foram colocadas na parede de banheiro, em tamanho grande (Foto: Divulgação/MPMS)
Em uma das escolas vistoriadas, orientações quanto a higiene das mãos foram colocadas na parede de banheiro, em tamanho grande (Foto: Divulgação/MPMS)

Dez escolas particulares de educação infantil foram vistoriadas pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul, durante os primeiros dias após retorno das atividades presenciais. A fiscalização, realizada entre a última sexta-feira e hoje (29), aprovou ações desempenhadas pelas instituições privadas em respeito às medidas de biossegurança previstas em planos de prevenção ao novo coronavírus.

Conforme análise do MP, todas as regras previstas – como a que estipula que apenas 30% da capacidade dos estabelecimentos de ensino funcione – estão sendo respeitadas. Com isso, todos as unidades escolares vistoriadas foram aprovadas.

Na fiscalização mais recente, cinco escolas foram listadas pelo órgão e, segundo a coordenadora adjunta do Geduc (Grupo de Atuação Especial de Educação)), Vera Aparecida Frost Vieira, o número de alunos que participam das aulas presenciais tem sido em média de 12 a 20 crianças, por escola.

“A partir do momento em que os pais se sentirem mais seguros, as crianças vão retornar às aulas presenciais. É importante ressaltar que essa fiscalização é uma fiscalização de amostragem. São 99 escolas que assinaram o termo de responsabilidade com o Município de Campo Grande que tinham intenção de reabrir, adotando o projeto de biossegurança. É um processo longo, mas responsável. Nós continuaremos as visitas de fiscalização”, ressaltou a promotora.

Sala de aula praticamente vazia; em média, de 12 a 20 alunos retornaram por escola, conforme MP (Foto: Divulgação/MPMS)
Sala de aula praticamente vazia; em média, de 12 a 20 alunos retornaram por escola, conforme MP (Foto: Divulgação/MPMS)

Conforme o MP, as escolas fiscalizadas até o momento foram: General Osório, Colégio Impacto, Ativa Idade Educação Infantil, Escola Paulo Freire, Funlec, Status, Colégio Nota 10, Colégio Liceu, Centro Educacional Século XX e Colégio Geração 2001.

Segundo levantamento do Ministério Público, além do número baixo de alunos, as instituições foram avaliadas em relação a itens de higiene pessoal, inclusive em banheiros.

“É muito importante, principalmente nesse retorno, que as crianças que estão de volta, sintam-se seguras, o que nos dá também segurança de dar continuidade ao trabalho”, ressaltou a promotora da saúdem Filomena Aparecida Depolito Fluminhan.

A fiscalização nas unidades de ensino vendo sendo realizada desde a semana passada nas escolas que optaram pela volta às aulas. A autorização para retorno das atividades foi concedida em reunião no dia 4 de setembro, realizada na sede da Procuradoria-Geral de Justiça.

Na ocasião, a prefeitura acatou o pedido dos representantes das escolas particulares de Campo Grande para a volta às aulas das crianças do ensino infantil, com 30% da capacidade dos estabelecimentos de ensino, no dia 21 de setembro.

No primeiro dia de aula, o Campo Grande News chegou a mostrar que o retorno foi com poucos alunos e pais seguros em relação às medidas de segurança. A segurança, inclusive, garantiu desfile de máscaras personalizadas, entre as crianças, e até pulseira que esguicha álcool.

Pais investiram até em pulseira que esguicha álcool em gel no "kit segurança" (Foto: Henrique Kawaminami)
Pais investiram até em pulseira que esguicha álcool em gel no "kit segurança" (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário