ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Capital

DHPP ficará com novos inquéritos sobre homicídios sem suspeito

Portaria define que delegacias da região ficarão com demais inquéritos sobre assassinatos

Por Maristela Brunetto | 09/04/2024 11:22
Portaria define que investigações futuras sobre homicídios sem autoria conhecida ficarão com delegacia especializada (Foto: Arquivo/ Juliano Alemida)
Portaria define que investigações futuras sobre homicídios sem autoria conhecida ficarão com delegacia especializada (Foto: Arquivo/ Juliano Alemida)

Portaria assinada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Roberto Gurgel, publicada nesta terça-feira no Diário Oficial, define que novos inquéritos sobre homicídios e tentativas com autoria desconhecida sejam destinados à DHPP (Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa). O regramento trata do encaminhamento de investigações na Capital e também interior, apontando efeitos “ex-nunc”, expressão jurídica informando que a validade é para situações futuras, sem retroagir.

O delegado-geral informou que detalhará a portaria somente amanhã, em entrevista coletiva. Entretanto, ontem ele já havia antecipado que seriam designados para a especializada somente casos sem autor conhecido, porque demandam investigação mais complexa, ficando as demais mortes e tentativas para as delegacias da área onde ocorreu o crime ocorreu.

A portaria excetua os feminicídios, que ficarão com a Delegacia da Mulher, onde houver unidade, e situações que a direção do Departamento de Polícia Especializada, no caso da Capital, e do Departamento de Polícia do Interior, definirem a necessidade de redistribuição da investigação do homicídio. Atualmente, chegam à DHPP da Capital os casos enviados pelo Departamento, conforme decreto de 2006.

O texto foi publicado no dia seguinte à divulgação de recomendação de promotores de Justiça da Capital - Luciana Moreira Schenk, Douglas Oldegardo Cavalheiro dos Santos  e Lívia Carla Guadanhim Bariani, do controle da atividade policial e do Júri- para que casos sejam concentrados na delegacia especializada para que haja padronização da investigação, além de indicar procedimentos para a condução das apurações, desde o momento da ocorrência do crime.

Nos siga no Google Notícias