ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Dono de garagem diz que quebrou, mas que vai pagar clientes

À polícia, Plínio Moreira Só Santos disse que veículos que estavam à mostra na P.Motors estão sendo devolvidos aos donos

Por Marta Ferreira e Clayton Neves | 06/04/2020 13:19
A delegada titular da Defurv, Aline Sinnott, onde a investigação ficará concentrada. (Foto: Kísie Ainoã)
A delegada titular da Defurv, Aline Sinnott, onde a investigação ficará concentrada. (Foto: Kísie Ainoã)

Dono da P.Motors, garagem especializada em veículos de luxo na Chácara Cachoeira, em Campo Grande,  que amanheceu vazia no fim de semana, Plínio Moreira Só Santos disse à polícia ter “quebrado”, mas garantiu a intenção de pagar os credores, donos de carros seminovos confiados à empresa para comercialização.

Titular da Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos), a delegada Aline Sinnott informou à reportagem que Plínio foi intimado a comparecer no local ainda no fim de semana, e esteve hoje cedo, acompanhado do advogado, Ewerton Belinatti. De acordo com ela, foram registrados pelo menos quatro boletins de ocorrência contra a garagem, em Campo Grande e em São Gabriel do Oeste.

A orientação de Sinnott é para as vítimas procurem a unidade especializada, na Vila Ipiranga, onde a apuração será concentrada. A P.Motors é investigada por estelionato e apropriação indébita.

Não há ainda estimativa do número de pessoas prejudicadas.

As situações, explicou a delegada, são distintas. Há clientes que deixaram os veículos em consignação, e só receberiam o valor quando a venda fosse concretizada, há donos de veículos que receberam parte do montante, há outros que foram pagos em cheques sem lastro e, ainda, aqueles cuja quitação foi feita de forma pré-datada e ainda não venceu o prazo dado.

O grupo mais preocupante, na análise da delegada, é de clientes sem qualquer documento assinado com a P.Motors. Deixaram os veículos à venda apenas com compromisso verbal, "na confiança". Nesse caso, já existe a informação numérica. “São sete clientes”, revelou.

“Quer pagar” - Segundo Aline Sinnott, o comerciante e o advogado se comprometeram a levar à delegacia documentação solicitada, incluindo os contratos firmados com a clientela. A policial afirma que também foi feita busca no fim de semana na empresa.

Conforme o relato da delegada, ao comparecer na unidade, Plínio Moreira Só Santos negou que tenha “sumido” com veículos de clientes. Ele disse ter devolvido os carros cujos donos localizou. Dois estariam ainda com ele, fora da empresa, por não ter conseguido contato dos clientes.

Ainda de acordo com Sinnott, o empresário atribuiu a situação a “problemas financeiros”. A justificativa para deixar o pátio da empresa limpo, como foi descoberto no fim de semana, foi a incapacidade de manter o negócio.

Loja de veículos seminovos de luxo está fechada desde o fim de semana. (Foto: Silas Lima)
Loja de veículos seminovos de luxo está fechada desde o fim de semana. (Foto: Silas Lima)

Conforme a explicação dada pela delegada, a conclusão do trabalho investigatório vai depender, também, de como o garagista se portará daqui para frente. Se ele cumprir o combinado com os clientes e quitar as dívidas, pode se livrar de indiciamento criminal.

Sobre pessoas que compraram veículos na P.Motors e o valor não foi repassado ao dono do item negociado, a delegada disse não haver indícios, no momento, de “má fé” e essas pessoas não são investigadas.

A reportagem conversou brevemente com o advogado do dono da garagem esta manhã. Ewerton Belinatti afirmou que Plínio Moreira Só Santos está bastante abalado e comprometeu-se a falar pelo cliente, na parte da tarde.