A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/01/2014 10:56

Durante cortejo fúnebre, microônibus bate em carro e revolta familiares

Kleber Clajus e Graziela Rezende
Familiares sinalizaram passagem, mas microônibus bateu em um dos carros do cortejo (Foto: Marcos Ermínio)Familiares sinalizaram passagem, mas microônibus bateu em um dos carros do cortejo (Foto: Marcos Ermínio)

O cortejo fúnebre de um idoso de 79 anos foi interrompido, nesta quinta-feira (30), no cruzamento das ruas General Melo com 14 de Julho, no Bairro São Francisco, em Campo Grande. Um microônibus do Consórcio Guaicurus colidiu com um Palio Weekend que seguia com parte da família em direção ao cemitério Jardim da Paz, na saída para Sidrolândia. Ninguém ficou ferido e a polícia de trânsito está no local.

Ao chegar ao cruzamento, os pintores e irmãos Maurício e Cícero Lino, de 39 e 45 anos, desceram da moto para sinalizar a passagem do carro fúnebre e do cortejo que seguia logo atrás. Trazer o corpo do idoso de Porto Velho (RO) já havia sido uma dificuldade, mas o acidente surpreendeu a todos.

“A família teve uma dificuldade enorme para trazê-lo e chegamos a realizar uma ‘vaquinha’. Chega aqui e ocorre isso. Eu entendo que a preferencial é dele, mas neste caso ele deveria ter bom senso. Paramos a moto, sinalizamos e chegamos a gritar para ele parar”, relata Cícero Lino.

De acordo com os familiares, o microônibus da linha 227 (Tia Eva-Saraiva-Centro) chegou a desviar dos pintores, mas atingiu o carro conduzido por Maria Lúcia Gonçalves, 37 anos, esposa de Maurício. Nele estavam três filhos do casal. Com o impacto a parte frontal de ambos os veículos ficou danificada.

“Nós tivemos o maior sufoco para enterrar dignamente o nosso pai e o motorista não teve respeito por isso”, desabafou Maurício.

Outro lado – De acordo com a assessoria de imprensa do Consórcio Guaicurus, o motorista da empresa São Francisco relatou que no local “não havia nenhum tipo de sinalização ou acompanhamento do cortejo por agentes públicos”.

Mesmo que houvesse, a empresa ressalta que a Rua 14 de julho é preferencial por quem nela trafega e tal fato foi comunicado a condutora do Palio por conciliadora do Juizado de Trânsito. A assessoria também informa que o veículo, mesmo após a mediação, teria sido deixado no local com um representante, “o que motivou a não realização de ocorrência pelo Juizado Especial, tendo sido então acionada a Polícia Militar para tomar as providência cabíveis”.

 

(Matéria atualizada às 11h18 para acréscimo de informações)



É Fabricio se vc for habilitado Campo Grande tá ferrado com pessoas igual a vc no transito, pois não sabe nada das leis de transito independente de quem estava pedindo a gentileza de parar cortejo funebre tem a preferencia e as pessoas que não respeitam isso devem sim serem punidas independente se particulares ou empresas de onibus lei é lei e tem que ser cumprida. E corrigindo o que a reportagem diz o proprietário do veiculo não se ausentou do local inclusive Mauricio perdeu o enterro do pai dele por causa do acidente. Um dia pode ser alguem da familia desse motorista.
 
Ines Hunhoff em 02/02/2014 18:04:56
eu maria lúcia agradeço a todos pelo o apoio. se vcs soubesse o quanto estou sofrendo, me sentindo culpada pelo o meu esposo não ter sepultado o pai dele.que trouxeram de tão longe para que pudesse ficar perto dele... agradeço a todos pelo comentário.
 
maria lucia gonçalves dos santos da silva em 01/02/2014 22:01:25
Fabricio Gomes, você tem CNH? se tem não sei como tirou, sugiro que volte para autoescola e vá estudar um pouco mais do CBT.
Concordo com o amigo José Mário, que inclusive explanou muito bem a situação e a falta de bom senso do Fabricio, que realmente dever aquele tipo de BRUCUTU, que só sabe ligar o veículo e pisar no acelerador. Educação trazemos de casa(qdo recebemos), a escola e as universidades só dão o polimento final.
O Onibus ERROU, a empresa ERROU muito mais com um comentário totalmente IGNORANTE, com falta de conhecimento e sensibilidade que o caso requer.
 
Juan Charlymoon em 31/01/2014 07:44:34
É uma pena a falta de solidariedade e mais ainda, a falta de conhecimento da Legislação:

CTB - Lei nº 9.503 de 23 de Setembro de 1997
Institui o Código de Trânsito Brasileiro.
Art. 213. Deixar de parar o veículo sempre que a respectiva marcha for interceptada:
I - por agrupamento de pessoas, como préstitos, passeatas, desfiles e outros:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa.
II - por agrupamento de veículos, como cortejos, formações militares e outros:
Infração - grave;
Penalidade - multa.

Não é necessário que tenha acompanhamento de agentes públicos como disse a assessoria da empresa.
 
Tânia Minussi em 30/01/2014 16:33:13
Cortejo fúnebre é sempre complicado, principalmente no centro da cidade.
Alguns folgados ligam o pisca alerta, e furam faróis para não ficar para trás.
Outros param nos faróis, e perdem de vista os demais acompanhantes do cortejo.
Para complicar ainda mais, boa parte das capelas ficam no centro da cidade, e o trajeto até os cemitérios é bastante longo.
Parar ou interromper o trânsito de ruas centrais, para passar um cortejo é práticamente inviável, aí acontecem os acidentes como o desta matéria.
Acho que cada funerária deveria colocar um batedor na frente, e outro no final do cortejo.
Fica a dica para que algum vereador pense nesta solução, e apresente seu projeto de lei.
Valdir Villa Nova.

 
VALDIR VILLA NOVA em 30/01/2014 16:32:06
Fabricio Gomes...olhe no dicionario a definição de "fechar" e "interditar"....ngm fez isso!!! apenas pediram uma GENTILEZA de esperar alguns segundos...mas voce com certez é mais um desse motoristas que contribuem para falta de GENTILEZA no mundo...só não se esqueça que assim como essas pessoas, vc tbm pode precisar de uma "passagem pra sair de estacionamento", "fazer uma conversão", "que alguem te ajude se seu carro enguiçar" ou até msmo pra "esperarem um pouquinho o cortejo da sua mãe/pai/irmão ou parente"....o mundo precisa que nos coloquemos no lugar do outro.....e não de gente como voce!!
 
José Mario em 30/01/2014 16:14:12
isso e errado "os motoristas dos coletivos ter horário para cumprir" por causa dessa regras idiotas posta pelos donos das empresas, dentro dos coletivos existem pessoas que querem ir e voltar para suas casas seguras, agora alguns motoristas acha que os passageiros são animas "porque não reclamam" e mesmo que trabalhassem carregando animal como boi, vaca, cavalo e etc tem que cuidar para que não se machuquem. Vamos colocar esse motorista dentro de um caminhão boiadeiro e andar igual louco pra ele ver se e bom, respeito e ótimo e todo mundo aceita quando se e respeitado. Tem que punir os donos das empresas e as mesmas tem que contratar pessoas responsáveis para dirigir coletivos, ultimamente a maioria e moleque e tudo irresponsáveis e estressados sem paciência.
 
ROGERIO MENEZES em 30/01/2014 15:44:22
CTB - Lei nº 9.503 de 23 de Setembro de 1997
Institui o Código de Trânsito Brasileiro.
Art. 213. Deixar de parar o veículo sempre que a respectiva marcha for interceptada:
I - por agrupamento de pessoas, como préstitos, passeatas, desfiles e outros:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa.
II - por agrupamento de veículos, como cortejos, formações militares e outros:
Infração - grave;
Penalidade - multa.

Não é necessário que tenha acompanhamento de agentes públicos como disse a assessoria da empresa.
 
Oliver Barbosa em 30/01/2014 15:41:46
Olha quero morrer com essa falta de educação dos Senhores e Senhoras, motoristas de Campo Grande, isso quase aconteceu comigo alguns meses atrás, no cortejo da minha falecida avó , é muita falta de respeito e a a empresa responsável pelo ônibus dizer que a Rua 14 é preferencial, não existe preferencial perante um cortejo, deve respeito sempre pelo amor de Deus a onde vamos parar com esse transito maluco.
 
Dienes do vale em 30/01/2014 14:52:48
Código Nacional de Trânsito, Art. 213. Deixar de parar o veículo sempre que a respectiva marcha for interceptada: II - por agrupamento de veículos, como "cortejos", formações militares e outros.
Infração - grave;
Penalidade - multa.
Daí vemos o quão profissionais são os motoristas que transportam a população campo grandense.
 
Dario Arguello em 30/01/2014 14:25:51
É a influência da fronteira... As pessoas parecem sempre estar de passagem, só pensando nelas.
 
FERNANDO GIARDINO em 30/01/2014 14:13:57
Todos reclamam dos motoristas de ônibus, mas nenhum olha pro seu próprio umbigo, pois só respeitam os ônibus devido a eles serem grandes, caso contrário duvido que respeitariam. E outra, já pararam pra pensar que os motoristas de ônibus cumprem horário? Todos criticam, mas tenho certeza que ninguém iria suportar o que o motorista de ônibus suporta. Crianças, adolescentes, adultos e idosos mal educados, que gostam de fazer escândalos. Ai do motorista de ônibus se não passar na hora, porque senão já tem passageiro ligando na empresa reclamando de seu atraso. Então, pare e pense, antes de criticarem as pessoas.
 
Karla Lima em 30/01/2014 13:57:56
Meus amigos vcs esperam educação desses motoristas de ônibus de Campo Grande! Esquecem, são piores condutores de veículos que já vi na historia, os caras acham que são donos das vias, já transitei de moto pela cidade, pior viagem ficar por perto desses animais selvagens, os caras não respeitam ninguém, e também não tem alguém para tomar atitude judicial quanto a esses bandos.
 
Rafael Alves oliveira em 30/01/2014 13:42:15
as pessoas que mandaram o motorista parar são agentes de transito? caso negativo isso daria o direito de qualquer pessoa "mandar" no transito. se o cortejo era grande que solicitassem apoio da PM ou Agetran
 
Alex André de Souza em 30/01/2014 13:25:17
as leis do transito são claras,e não tem nenhum parágrafo, que indica que cortejo tem a preferencia, apesar de ser solidario a famlia, ela não devia confiar no bom senso do motorista do micro , cada cabeça uma centença.
 
Romildo Miras em 30/01/2014 13:24:57
É impressionante a falta de educação no transito, pergunto aos motoristas apressadinhos...e se fosse o pai deles, a mãe, um irmão?....um pouco de respeito e consideração com a dor do próximo não custa muito...e faz uma diferença enorme para quem recebe...transito humanizado já!!!!
 
Claudia Alves da Silva em 30/01/2014 13:08:16
Todo mundo que estuda e faz provas escrita e prática para ter habilitação sabe que CORTEJO FÚNEBRE tem a preferencial! Será que esse motorista não sabe disso ? Que historinha é essa de não haver "agentes públicos" acompanhando? Isso só existe na cabecinha oca de quem não pudor de falar bobagens! Só falta mais essa agora! Todo cortejo ter que ter acompanhamento policial ?! será que esse pessoal não tem bom senso?
 
magda correa em 30/01/2014 12:54:02
Código de Trânsito Brasileiro e..... também de Campo Grande
Art. 213. Deixar de parar o veículo sempre que a respectiva marcha for interceptada:
II - por agrupamento de veículos, como cortejos, formações militares e outros:
Infração - grave;
Penalidade - multa
Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:
I - quando se aproximar de passeatas, aglomerações, cortejos, préstitos e desfiles:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa;
 
Carlos d'Amore em 30/01/2014 12:35:21
esta na lei de transito quando pasa um cortej funebre tem k respeitar sujeito a pena no codigo de transito tem pena de ate pagar cesta basicas ta no codigo de transito
 
milton miguel em 30/01/2014 12:34:46
Bem, de todos que comentaram, quantos efetivamente param ou sequer reduzem a velocidade em um cruzamento, quando estão na preferencial? Não sei como foi o acidente, não estava lá, mas afirmar que a culpa foi única e exclusivamente do motorista do microonibus... Se o cortejo seguia em via não preferencial, parar no cruzamento seria necessário e o mínimo de responsabilidade exigida. Não é pq é cortejo fúnebre que tem o direito de ignorar as leis de trânsito.
 
Ana Paula em 30/01/2014 12:29:32
O que não faz a falta de bom senso e educação no trânsito.
Nossa!! que triste o ocorrido. Realmente, se todos os veículos que acompanhavam o cortejo trafegavam com o pisca alerta ligado, o motorista deveria PARAR independente se é ou não preferencial dele.
Por outro lado, percebemos que a resposta da empresa Guaicurus foi insensata. Também entendemos, que esses motoristas SOFREM uma pressão violenta, por conta do horário a ser cumprido.
Mediante o fato exposto, fica explícito porque esses onibus saem arrancando o que esta pela frente. Cortam sinal, trafegam em alta velocidade, passam em cima do que estiver obstruindo sua passagem. Faz-se necessário uma fiscalização nas tais EMPRESAS, porque esses motoristam, também sofrem demais e muitas vezes adoecem em pouco tempo de trabalho.
 
Neyde de Oliveira em 30/01/2014 12:16:56
o motorista do onibus , esta certinho , nao tinha nenhum agente de transito , para sinalizar, pessoas civis , nao pode fechar rua nenhuma , so agentes de transitos militares, ou agentes da defesa civil , tem autorização para fechar e interditar vias publicas, , sou a favor do motorista do coletivo ,nao tinha nenhum agente compentente de transito , entao a rua estava aberta ,
 
fabricio gomes em 30/01/2014 12:16:15
os motoristas de ônibus coletivos são assim mesmo, se acham acima da lei. não respeitam nem cortejo quanto mais um cidadão comum no trânsito. lamentável!!!!!
 
Andre Diogo em 30/01/2014 11:58:56
não é pq é preferencia que não se pode ser gentil e compassivo com que esta enterrando um familiar....uma pena!
 
Jose Mario em 30/01/2014 11:58:35
mesmo a rua 14 de julho sendo preferencial, e a condutora estar errada, não da ao motorista o direito a "jogar" o onibus pra cima de outro carro (vejo mto isso, e quem quiser ver, é so acompanhar um busão por aí).....e isso infelizmente é corriqueiro nas nossas ruas, pois a empresa assume a responsabilidade pelos atos do motorista ao mesmo tempo que se isenta da responsabilidade do ônus do outro veiculo em qlqr colisão..... e isso só da margem para esses "profissionais" abusarem no transito e serem mal educados e folgados!!! me desculpem generalizar, mas nunca presenciei gentileza da parte dos motoristas de nenhuma dessas empresas!!
 
José Mario em 30/01/2014 11:56:00
Bom esse motorista do microônibus deveria ter um bom senso de parar néh, ele não sabe que não pode interromper cortejo funeral muito menos ultrapassar.
 
Larissa Silva em 30/01/2014 11:55:12
Educaçao no transito... é o que precisamos! Dê a preferencia, respeite...
 
cristiane meira em 30/01/2014 11:43:25
Aqui chamamos isso de "educação campo-grandense"... tacanha, rasteira, jacu e bovina!!!
 
Marcio Eduardo em 30/01/2014 11:21:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions