A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

07/03/2018 12:55

Durante homenagem, mulheres cobram mais espaço e participação na política

Dia Internacional da Mulher, comemorado amanhã, teve a celebração antecipada na casa de leis, com entrega de medalha

Mayara Bueno
Entrada na Câmara Municipal de Campo Grande.
(Foto: Marcos Ermínio).Entrada na Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio).

Durante sessão solene na Câmara Municipal de Campo Grande, mulheres cobraram mais espaço e participação no cenário político. O evento desta quarta-feira (dia 7) antecipou a comemoração do Dia Internacional da Mulher, lembrado em 8 de março, e concedeu a um grupo de mulheres a medalha "Celina Martins Jallad".

A vereadora Dharleng Campos (PP) destacou características e qualidades da mulher. “Somos força, coragem, elegância, belezas, guerreiras, bravas, somos alegria e, em muitos momentos, tristeza. Somos emoção e temos infinitas qualidades, e não dependemos de nada nem ninguém para nos motivar. Mas, às vezes, precisamos usar essas qualidades a nosso favor para fazermos a diferença em um mundo que depende muito de nós”.

Outra componente da bancada feminina, a vereadora Cida Amaral (Podemos), disse que as mulheres, atualmente, ocupam menos de 10% dos cargos públicos, em um universo de 51% de votantes no País. "É claro que a conta não bate: somos maioria dos eleitores e minoria de agentes políticos. Precisamos de paridade na política. Temos valorosas mulheres que podem abrilhantar o campo político com dinamismo, inovação e muita força de luta”.

A desigualdade de gênero não foi lembrada somente no âmbito político, mas também nas relações de trabalho e outros espaços, como lembrou a ex-vereadora e subsecretária de Políticas para a Mulher de Campo Grande, Carla Stephanini.

“Essa desigualdade é expressa na diferença de salários, na violência e no número de feminicídios, quando a mulher é assassinada justamente por ser mulher. A representatividade da mulher na política é que vai fazer a diferença para acelerar o processo de igualdade. Sem mulher no parlamento, esses passos serão lentos”.

Para a titular da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Elisa Cleia Nobre, que representou o governo estadual, é necessário protagonismo da mulher nas decisões da política.

Em nome das homenageadas, Elezita Santos de Oliveira Vercelino lembrou os vários tipos de violência que as mulheres sofrem. Mesmo em pleno século 21, ainda convivem em uma sociedade machista, destacou.

Representando a Assembleia Legislativa, a deputada Mara Caseiro (PSDB), disse que tem trabalhado, principalmente, em função da atuação das mulheres. Destacou que as mulheres precisam de mais representatividade na política.

*Com informações da Câmara Municipal de Campo Grande. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions