A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

24/01/2016 14:57

Em feira de adoção, animais de rua conquistam seus novos donos

Lauro Burke
O casal Flávia e Gustavo tendo contato com o peludinho. (Foto: Fernando Antunes)O casal Flávia e Gustavo tendo contato com o peludinho. (Foto: Fernando Antunes)
Feira aconteceu na entrada do Parque das Nações (Foto:Fernando Antunes)Feira aconteceu na entrada do Parque das Nações (Foto:Fernando Antunes)

Com a ajuda de voluntários, cães e gatos de rua ganharam a oportunidade de ter um lar neste domingo (24), durante uma feira de adoção realizada no altos da avenida Afonso Pena ao lado da Cidade do Natal, em Campo Grande. A ação aconteceu durante toda a manhã.

Abandonados, maltratados e doentes é assim que os animais são resgatados pela ONG (Organização Não Governamental) Abrigo dos bichos, formada por um grupo de pessoas, sem fins lucrativos, que tratam, cuidam e dão lar temporário aos animais de rua.

A professora Larissa Boni, 27, é a organizadora do evento e conta que no ano passado, a feira de adoção foi realizada durante todos os meses. Em 2016, o objetivo é ter mais adoções e por isso a ideia é que o evento aconteça há cada 15 dias.

Além de dar aulas, Larissa é “pet sitter” (babá de animais), ela cuida dos animais encontrados na rua, em sua própria casa. Todos os animais encontrados passam por atendimento em clínica veterinária, fazem tratamento caso tenham alguma doença e são castrados, para evitar que se reproduzam.

Vera além de acolher os animais, ajuda no resgate (foto Fernando Antunes)Vera além de acolher os animais, ajuda no resgate (foto Fernando Antunes)

Outro grupo parceiro da adoção, o AMMAR, também estava na feira com o mesmo objetivo: conseguir donos para cães abandonados. Vera Sartori, 26, estudante de arquitetura, é uma das participantes e abrigadora dos animais. Ela conta que o  grupo também faz campanhas sociais de conscientização sobre abandono dos animais, preconceito e principalmente maus tratos.

Preconceito - Greici Maciel, 31 , revisora de texto, é outra participante do grupo e conta que há uma procura maior por animais mais novos, fêmeas e de pequeno porte. O objetivo da feira de hoje é conseguir dono para os animais que são menos procurados: mais velho, macho, de médio e grande porte. 

Ela conta que conversa com os futuros donos sobre a importância de adotar um animal da rua, mas são os próprios animais que quando chegam perto, fazem contato e começam a brincar, que convencem os futuros donos. 

“Há ainda um grande preconceito com os animais vindo da rua. As pessoas acham que vão passar doença ou são agressivos. Na verdade, os animais de rua são os mais carinhosos. É como se eles fossem eternamente gratos por ter sido adotados” relata Greici que é dona três cachorros, dois são adotados. 

O casal Flávia Mazzi, 32, engenheira ambiental e seu marido, Gustavo Mazzi, 35, educador físico, estavam na feira, procurando um cachorro para fazer companhia aos outros dois cães que o casal tem, mas que foram comprados.

Gustavo diz que não tinha consciência da adoção, tinha preconceito, mas visitou a feira e viu que os animais estão bem tratados, sem doenças e são dóceis. Sua esposa estava abaixada, abraçando e fazendo carinho no “peludinho”, cachorro que pertencia à um morador de rua, que se mudou e abandonou o animal.

A vontade do casal é de adotar vários animais, mas morando em apartamento, o espaço é pequeno para tantos. Gustavo estava na feira para além de adotar, ele quer ser voluntário do projeto. Ele tem uma academia e há um espaço sem utilização, a vontade dele é de transformar em um abrigo temporário para os animais

“Quando compramos os dois poodles, não tínhamos noção do quão bom era adotar. Pensávamos que só tinha cachorros vira-latas, mas há de todas as raças, tamanhos e cores. Isso é bacana” diz Gustavo, agora fazendo carinho no possível cachorro que irá adotar

Cães abandonados a espera de um dono (foto Fernando Antunes)Cães abandonados a espera de um dono (foto Fernando Antunes)

Adoção Legal - Quem adota os animais precisa assinar um termo de adoção, que entre vários itens, o principal é cuidar bem do animal e não entregá-lo ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) porque lá é feito a eutanásia de cães e gatos de rua. Além disso, há a assinatura de um "protetor", participante que faz visitas no lar novo do bicho, para verificar se está sendo bem tratado.

Caso quem adotou não se adaptar ao animal, pode devolver para o abrigo e um novo lar será encontrado para ele. A participante Greici, do AMMAR, conta que é raro alguém devolver o animais. “É um amor eterno”

Na feira deste domingo, o Abrigo dos bichos levou 9 cachorros e 12 gatos, no momento da reportagem, dois gatos e dois cachorros ja tinham sido adotados. O AMMAR levou sete cachorros para adoção.

Adote e ajude - Quem quer adotar ou ajudar (ficando temporariamente com os animais, doando alimentos, tratamento) pode entrar em contato com o Abrigo dos Bichos pelo site ou pelo telefone (67) 8406-2288. O AMMAR possui uma página no facebook pelo link e o telefone (67) 8118-8146




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions