ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Em pânico, mãe e filha se trancam em quarto durante furto na Chácara dos Poderes

Vítimas ficaram trancadas em quarto por 15 minutos, onde conseguiram ligar para a PM, vizinhos e família

Por Paula Maciulevicius Brasil | 26/07/2021 11:35
Caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)
Caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)

Mãe e filha viveram momentos de terror na noite desse domingo (25) na Chácara dos Poderes, na Capital. Por volta das 20h, a servidora pública de 49 anos, contou que ouviu latidos do cachorro e saiu para ver o que era, momento em que percebeu um vulto e correu para casa.

A mulher trancou a porta de entrada da sala, mas levou um susto maior ainda ao perceber que os bandidos arrombaram e entraram na casa. Ela e a filha se trancaram então em um dos quartos da chácara.

Conforme relato da vítima à polícia, do cômodo elas ouviam todos os barulhos da dupla que parecia procurar por objetos de valor nas gavetas. Do quarto, a filha conseguiu ligar para a Polícia Militar e para o irmão, enquanto a mãe ligou para os vizinhos.

As duas ficaram trancadas em pânico cerca de 15 minutos até ouvirem barulho de carro e o filho chamando pela mãe a irmã. Ainda segundo o boletim de ocorrência, as duas fugiram com a chegada do jovem e se esconderam na casa de vizinhos.

Quando a Polícia Militar chegou ao local, prendeu um dos bandidos que já havia sido detido pela vizinhança. O comparsa fugiu e não foi encontrado.

Com ferimentos, o assaltante foi levado para atendimento no UPA do Coronel Antonino. Para a polícia, ele disse que achou que a chácara estivesse vazia, por isso entrou. Versão que é contestada pela vítima que afirma que o bandido viu sim a movimentação na casa.

Depois de ser atendido e receber alta, o bandido foi preso. A vítima disse que não chegou a entrar de volta à casa para ver se algo tinha sido levado.

O caso foi registrado como furto na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário