ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Em troca de doces, "amigo" da dona estuprava crianças em creche particular

Duas mães procuraram a polícia, que já tenta localizar suspeito

Por Dayene Paz e Bruna Marques | 13/05/2022 09:57
Delegacia Especializada, em Campo Grande, que apura denúncias de estupro em creche. (Foto: Paulo Francis)
Delegacia Especializada, em Campo Grande, que apura denúncias de estupro em creche. (Foto: Paulo Francis)

A Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) investiga mais uma denúncia de abuso sexual em instituições de ensino infantil de Campo Grande. Em uma creche particular do Jardim Panamá, um homem é acusado de estuprar duas crianças de cinco e seis anos. O caso foi registrado no último dia 6 de maio e a polícia apura se há mais vítimas.

A mãe da criança de cinco anos foi quem fez o primeiro registro. Conforme apurado pelo Campo Grande News, a filha relatou que viu o homem - amigo da dona da creche, identificado apenas como "Belo" - mexendo na parte íntima de um colega, menino. A mãe desconfiou e ao verificar a parte íntima da filha, encontrou vermelhidão.

A mulher procurou a polícia e a menina foi ouvida no setor psicossocial da Depca. O relato é que o suspeito passava a mão por baixo das roupas das crianças. Ele oferecia balas e pirulitos, também dava tapas no bumbum. A criança passou por exame sexológico, que confirmou o abuso.

Depois da mulher denunciar o caso, outra mãe procurou a polícia com a filha de seis anos, que também foi ouvida no setor especializado. Ela passou por exame sexológico, que ainda não ficou pronto.

A delegada Fernanda Mendes informou que já foi emitida uma ordem de serviço para localizar o acusado. "Belo" seria amigo da proprietária da creche.

Outro caso - A Depca investiga cinco denúncias contra uma professora da Escola de Educação Infantil, Mon Petit, localizada no Bairro Santa Fé, na Capital. A delegada responsável não quis, contudo, revelar o teor dos depoimentos que chegaram à delegacia. A reportagem apurou que são suspeitas de abusos físicos e sexuais.

Nos siga no Google Notícias