ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  26    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Empresa de MS nega ter fabricado máscaras “gigantes” entregues a alunos no AM

Nilcatex afirma que ordem para o fornecimento foi dada no dia 11 de agosto e que nem entregou a encomenda ainda

Por Anahi Zurutuza | 13/08/2020 20:32
Aluna mostra máscar cobrindo todo o rosto (Foto: Radar Amazônico)
Aluna mostra máscar cobrindo todo o rosto (Foto: Radar Amazônico)

Empresa conhecida no ramo têxtil em Campo Grande, da Nilcatex, nega ser a responsável pela confecção das máscaras que viraram piada entre alunos da rede estadual de ensino do Amazonas. A fábrica informou, em nota, que sequer entregou a encomenda.

Nessa quarta-feira (12), o Campo Grande News publicou matéria com base na apuração do site Radar Amazônico e confirmações obtidas no Portal da Transparência do Governo do Amazonas. A reportagem do veículo do Norte brasileiro, dizia “Governo paga R$ 2,3 milhões para empresa do MS fazer máscaras de pano para estudantes do Amazonas”.

A matéria afinava ainda que a Nilcatex, empresa que tem fábricas em Campo Grande e Blumenal (SC), forneceu o acessório de proteção em tamanho que cobre não só o nariz e a boca, mas todo o rosto dos adolescentes, conforme fotos que os estudantes divulgaram nas redes sociais.

De acordo com nota de empenho disponibilizada no Portal da Transparência do Governo do Amazonas, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto encomendou 920 mil máscaras por R$ 2.392.673,40 da Nilcatex.

Por R$ 2,60 a unidade, a fábrica se comprometeu a entregar máscaras de tecido helanca light (100% poliéster), de tamanho único e dupla camada, sendo a parte interna de malha 100% algodão.

O Campo Grande News tentou contato com o Governo do Amazonas e com a Nilcatex, por telefone e por e-mail enviado mais de uma hora antes da publicação. Até às  17h16 ontem (12), quando a matéria deste jornal foi ao ar, nenhum dos dois havia se manifestado.

Por nota, publicada no site oficial, o Governo do Amazonas revelou que as máscaras “foram adquiridas por meio de Licitação Pública Nacional, tendo como fonte recursos do BID (Banco Interamericano do Desenvolvimento), com participação no processo licitatório de empresas de todo país”.

Também em nota, enviada à reportagem somente às 18h11 desta quinta-feira (13), a Nilcatex explicou que participou de licitação no dia 23 de junho e que apresentou proposta para máscaras especificadas em apenas 1 lote. Afirma ainda que o contrato com aquela administração estadual foi firmado no dia 4 de agosto, como consta na nota de empenho acessada pela reportagem, mas que só recebeu ordem de fornecimento no dia 11 deste mês e que tem prazo de 30 dias para entregá-las.

A empresa reitera que, portanto, até agora, não forneceu qualquer quantidade de máscaras objetivo deste contrato firmado com o Governo do Amazonas.

Regras de comentário