ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  10    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Empresa nega racismo contra mulheres acusadas de furto em loja de brinquedos

Por Liniker Ribeiro | 05/06/2020 15:10
Movimentação em loja do Centro da Capital onde desentendimento ocorrou entre funcionários e clientes (Foto: Arquivo)
Movimentação em loja do Centro da Capital onde desentendimento ocorrou entre funcionários e clientes (Foto: Arquivo)

Quase trinta dias após matéria do Campo Grande News abordar caso de suspeita de racismo que aconteceu em uma loja de brinquedos, no Centro da Capital, a defesa do estabelecimento  se posicionou afirmando “inexistir a acusação de racismo”, como mencionado. Na ocasião, três mulheres negras denunciaram a atitude de funcionários da loja, após serem acusadas de furto.

Segundo a defesa, o fato é indicado “ao melhor examinar o teor do Termo de Ocorrência Policial”, boletim registrado pela Polícia Civil.

Na matéria publicada no dia 7 de maio, as mulheres denunciaram a situação ocorrida no dia anterior, quando entraram na loja Good Variedades. Enquanto elas estavam no estabelecimento, uma das mulheres diz que o neto tirou da sacola um brinquedo que havia comprado em outro local e colocou na gôndola. Segundo ela, a filha recolocou entre as compras, cena presenciada por uma funcionária.

Os vendedores teriam bloqueado a passagem da porta para que elas não saíssem e diziam que a filmagem mostrava o objeto sendo retirado da gôndola e colocado na sacola. As imagens foram analisadas por um policial militar, que segundo a defesa, não indicou ter presenciado situação de racismo.

A ocorrência foi registrada como injúria e calúnia.