A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

02/05/2011 17:33

Empresa quebra acordo sobre ressarcimento do show de Luan Santana

Fabiano Arruda

JPL3 Produções não vai mais reembolsar consumidores que se sentiram lesados

Pelo menos 250 consumidores compraram pulseiras para assistir da área vip. (Foto: Simão Nogueira)Pelo menos 250 consumidores compraram pulseiras para assistir da área vip. (Foto: Simão Nogueira)

O diretor-presidente do Procon/MS, Lamartine Ribeiro, informou que a JPL3 Produções, empresa responsável pelos shows realizados na Expogrande, desfez o acordo de ressarcimento com os consumidores que se sentiram lesados no show do cantor Luan Santana.

Um representante da empresa entrou em contato com o Procon e anunciou o descumprimento do acordo. Agora, segundo o diretor do órgão, a JPL3 será multada, em valores que variam de R$ 100 mil a R$ 3 milhões.

“Vamos enviar a notificação da multa amanhã e, por meio de ofício, encaminhar a questão para o Ministério Público e Delegacia do Consumidor”, explicou Lamartine.

A audiência entre o público que se sentiu prejudicado e a empresa estava marcada para amanhã, porém, não vai mais ocorrer por conta a decisão da empresa.

O Procon orienta que o público que esteve no show e cobra a devolução do valor entre em contato com o órgão, por meio do 3316-9800, para saber quais serão os próximos prodecimentos.

O caso - Na terça-feira passada, a JPL3 propôs acordo para solucionar as reclamações dos consumidores que compraram convite da área vip da apresentação do cantor Luan Santana. Cerca de 250 pulseiras foram vendidas.

O motivo da reclamação dos consumidores é que eles compraram ingressos mais caros para ficar numa área isolada e reclamam que, quando começou a apresentação de Luan Santana, a pressão do público derrubou as grades e o que era para ser uma área reservada virou espaço comum.

Informações dão conta que o valor das pulseiras variou entre R$ 60 e R$ 80, dependendo da data em que foram compradas.



Espero que realmente os CONSUMIDORES, sejam ressarcidos. Essa tal empresa, que diz que estava de prontidão para receber e acolher os consumidores que sentiram-se lesados no momento e que até encaminharam alguns para o camarote, são um bando de IRRESPONSÁVEIS, que devem agradecer a DEUS por não terem que pagar por uma tragédia que poderia ter ocorrido no meio de todo o tumulto. Muito me admira, os empresarios do Luan não se preocuparem com a vida dele, pois não existia sequer policiamento suficiente para a realização do evento, segurança particular então...Quando estoraram as barreiras, procurei pelos organizadores no portão que dava acesso ao camarim, e eles simplemente se esconderam. Pior ainda, não fomos sequer revistados, não tinha detector de metais, entraram com bolsas, mochilas, sacolas, se alguém estivesse mal intencionado uma tragédia poderia ter ocorrido. Eu vou lutar pelo meu direito e vou até o fim.
 
Carmen Albuquerque em 03/05/2011 11:16:31
Esse show teve uma má administração, se tivesse uma boa administração nada disso teria acontecido...
 
Lucas Gonçalves em 03/05/2011 10:41:14
De fato, como alguns comentários disseram, o PROCON não é a Justiça, trata-se de uma instância administrativa para tentar conciliar os problemas. Quando a conciliação não é possível, a empresa é multada, no caso específico, a multa será de R$ 1.000,00 por pulseira apresentada. E o consumidor como fica? Bem, o PROCON providenciou junto à Associação de Defesa do Consumidor, assistência jurídica gratuíta para todos os consumidores que trouxeram suas pulseiras, isso porque, sem a pulseira não tem como provar a relação de consumo. Aplicamos a multa que somada se aproxima de R$ 300.000,00. Se a empresa não pagar a multa será inscrita em dívida ativa e cobrada em Execução Fiscal onde seus bens podem ser penhorados. De seu lado, o consumidor "com a assistência gratuíta" poderá não só reaver o valor do ingresso, como também receber um valor a mais a título de indenização por danos morais. O Ministério Público do Consumidor deverá entrar com Ação para impedir a empresa de continuar atuando no moldes do ocorrido e ainda, a Delegacia do Consumidor vai instaurar inquérito policial para averiguar crime que pode resultar em punição de natureza criminal para os produtores. Os produtores alegam que romperam o acordo por orientação dos advogados deles. Tomara que eles lembrem disso na hora em que estiverem sendo executados em R$ 300 mil reais. Espero que estes esclarecimentos sejam suficientes para responder que o PROCON funciona e está atuante em defesa do consumidor.

Grande abraço a todos.

Lamartine Ribeiro
 
Lamartine Ribeiro em 03/05/2011 10:38:38
Já era de se esperar, e so voces entrarem no site do TJMS e verem o monte de ação contra essa empresa JP3, são campeões em não cumprirem o contratado, principalmente em relação a pagamentos.
 
Marcus Yuly em 03/05/2011 09:05:24
O que adianta o Procon nisto tudo?
Para o consumidor "nada",
Caso a multa seja aplicada o dinheiro que deveria ir para os consumidores lesados ,não passa nem perto dos pobres coitados que compraram os ingressos.
O dinheiro da multa vai para o Procon,Governo ,para com isto aumentar o serviço de arrecadação que gera mordomias .
Pode escrever que quem for ao Procon ele vão mandar os consumidores buscar a justiça,pois eles"o Procon" não tem poder legal para qualquer providencias judiciais
 
Elton Fontes em 03/05/2011 07:31:14
Porque o Procon não oferece Justiça gratuita a todos que la aparecem,e ouvem um "sinto muito o senhor devera procurar a justiça".
 
Elton Fontes em 03/05/2011 07:11:37
Assistência jurídica gratuíta E UM DIREITO OFERECIDA PELA JUSTIÇA,NAS PEQUENAS CAUSAS NÃO TEM CUSTAS.
indenização por danos morais:FAZ PARTE DO PROCESSO ACIMA
Delegacia do Consumidor vai instaurar inquérito policial :É OBRIGAÇÃO DELA FAZER , CASO NÃO O FAÇA PODE PREVARICAR
Espero que estes esclarecimentos sejam suficientes para responder que o PROCON funciona e está atuante em defesa do consumidor. :NÃO CONVENCEU
 
Elton Fontes em 03/05/2011 07:08:19
paguei 60 reais para ficar na area VIP e acabei assistindo do lado de quem pagou 10 reais e esses caras dizem que não teve invasão... acho tbm que esse numero de 250 na area VIP não esta correto , tinha bem mais que isso !!! Vamos ver se a Justiça vai ser feita...
 
William Alves em 02/05/2011 10:52:42
O procon como sempre não vai resolver. A empresa não vai entrar em acordo e o procon não tem poder de decisão. Encaminhara os coitados dos consumidores para o juizado de pequenas causas e dai é muito bla bla bla e o tempo passa todos desistem
 
Luiz Alberto em 02/05/2011 09:56:28
O QUE VOCES - VITMAS DO DESFALQUE - ESPERAVAM? UM MEGA EVENTO DESTE, COM UM ARTISTA DE PESO E NA ALTA TEMPORADA DE ESTRELATO, ESTAREM LA TODO PROETEGIDO? SE A EXPOGRANDE DESCUMPRE ATE MESMO DECISOE JUDICIAIS DE ESTAR LA FUNCIONANDO, EPERAVAM QUE TIVESSE MESMO TUDO ORGANIZADO E SEU ESPAÇO PROTEGIDO DE AREA VIP? DE UM LADO É BOM, PQ EU TENHO CERTEZA DE QUEM FOI LESADO, JAMAIS SE PRONTIFICARÁ A IR NUM SHOW DE REPRESENTATIVIDADE SEMELHANTE. MARQUEM BEM O NOME DA EMPRESA ORGANIZADORA JPL3 - E DIGA-E DE PASSAGEM QUE O CANTRO LUAN SANTANA (QUE COM CERTEZA É O DONO DA ORGANIZADORA TB) NAO TA NEM AÍ PRO POVO DE SUA TERRA.
 
LUCIANO MARQUES em 02/05/2011 08:04:06
EU FALEI....OLHA ELES MOSTRANDO AS CARAS..........
 
GILMAR CANDIDO em 02/05/2011 06:53:45
Vamos às contas. Porquê a empresa deixaria de devolver um somatório de R$10.000 para correr o risco de pagar uma multa de no mínimo R$100.000 ?? Estranho não!
 
Bruno Nodes em 02/05/2011 06:52:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions