ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  05    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Energisa diz que vai construir rede para atender área invadida da Homex

Justiça determinou que ligações clandestinas sejam trocadas por rede regular

Por Clayton Neves | 04/04/2020 18:02
Ligações irregulares em terreno invadido por moradores em 2017. (Foto: Arquivo)
Ligações irregulares em terreno invadido por moradores em 2017. (Foto: Arquivo)

Após decisão da Justiça determinando que a Energisa substitua ligações clandestinas por rede regular na área invadida da Homex, a empresa informou que não existe rede de energia que possa atender o loteamento. Para sanar o problema, a concessionária afirmou que fará nova instalação para conseguir atender os moradores.

“Atualmente não existe rede de energia para atender todo o loteamento porque a ocupação é irregular e a rede não está projetada para a demanda. A Energisa irá construir e instalar a rede de distribuição para oferecer qualidade e segurança no fornecimento de energia para os clientes da concessionária”, informou.

As ligações clandestinas atendem cerca de 1.100 pessoas que vivem na área desde 2017, quando o terreno, no Jardim Centro-Oeste, foi invadido após a construtora Homex anunciar falência.

Em nota, a Energisa se disse sensível a causa dos moradores e afirmou que desde o ano passado busca junto a prefeitura, traçar caminhos para solucionar a situação, “já que as ligações clandestinas de energia nessa área invadida, oferecem riscos à população, vez que sobrecarrega a rede podendo ocasionar acidentes com mortes, incêndios, choques elétricos e curto-circuito”.

Em resposta à ação civil pública proposta pela Defensoria Pública o juiz David de Oliveira Gomes Filho determinou que todos os moradores do local sejam cadastrados como consumidores e tenham incluídos em suas faturas os custos da obra realizada, até que venha sentença no processo e esclareça definitivamente como ficará a situação.

De acordo com a concessionária de energia, “nesta segunda-feira (06) um Grupo de Trabalho se reúne para iniciar plano da regularização desses consumidores e traçar o calendário e as ações dessa tarefa”.