A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/07/2013 10:29

Enfartado espera uma semana para chegar no HU e 4 dias no corredor

Aliny Mary Dias
Registro feito pela família de corredor onde idoso ficou internado durante 4 dias (Foto: Sandra Mendonça/Arquivo Pessoal)Registro feito pela família de corredor onde idoso ficou internado durante 4 dias (Foto: Sandra Mendonça/Arquivo Pessoal)

Não receber tratamento médico após um enfarto, esperar uma semana para uma transferência para um hospital da Capital e ficar quatro dias internado no corredor do Hospital Universitário foi a rotina vivida nos últimos 13 dias pelo idoso Salviano de Souza, de 71 anos, que mora em Três Lagoas.

A denúncia do descaso com a saúde do aposentado foi feita pela cunhada, Sandra Mendonça, de 41 anos. A profissional de relações públicas conta que o idoso mora em uma fazenda no interior e sentiu dores no peito no dia 14 de julho.

Salviano procurou atendimento em um hospital de Três Lagoas e após uma consulta foi liberado para voltar para casa. Dois dias depois, as dores persistiram e a família resolveu levá-lo a uma clínica particular da cidade.

No consultório, o diagnóstico saiu em poucos minutos. O idoso estava infartado há três dias e precisava ser internado com urgência. Sem condições para continuar o tratamento na rede privada, Sandra conta que o cunhado precisou ser transferido para um hospital público da cidade onde foi internado.

“Ele ficou uma semana esperando uma vaga para ser internado em Campo Grande. Os médicos diziam que era urgente, mas a Central de Vagas só nos repassava que não tinha vaga em nenhum hospital da capital”, explica a cunhada.

Após uma semana de espera, a vaga para transferência em um hospital com maiores recursos apareceu no último domingo (21). Salviano foi trazido para o Hospital Universitário da Capital em uma ambulância da Secretaria de Saúde de Três Lagoas.

Em um hospital da Capital, a expectativa da família era que Salviano conseguisse passar pelos procedimentos necessários o mais rápido possível. “Quando chegamos aqui não tinha nenhuma maca e ele ficou na da ambulância. Ele precisou ficar no corredor que estava lotado durante quatro dias”, conta Sandra.

Com fortes dores, o idoso passou por um cateterismo para desobstruir uma das três veias do coração que estavam estúpidas. Após o procedimento, Salviano voltou para o corredor, já que não havia vagas em enfermarias e quartos do HU.

Na última quarta-feira (24), enfim, surgiu uma vaga e o aposentado pôde sair do corredor e ficar internado em um quarto. “A gente se sente impotente com isso tudo, não podemos fazer nada. A culpa não é dos enfermeiros ou médicos e sim do sistema público de saúde que está abandonado”, desabafa a cunhada.

À espera de uma solução há 13 dias, Salviano ainda precisa esperar para ter a saúde restabelecida. Após esperar vaga para transferência de Três Lagoas para Campo Grande e do corredor para o quarto, a espera agora é pela vaga no centro cirúrgico, já que o idoso precisa de uma cirurgia no coração para desobstruir outras veias que continuam entupidas.

Investigação - O HU foi alvo da investigação que culminou na operação Sangue Frio que começou em março do ano passado para entender por que os serviços de radioterapia oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) eram fornecidos apenas pelo setor privado.

Auditoria realizada pela CGU (Controladoria-Geral da União) em 2012 verificou prejuízo de R$ 973 mil aos cofres públicos. A análise trouxe à tona uma série de irregularidade: direcionamento de licitação, montagem de processos licitatórios, subcontratação de serviços para empresas ligadas a dirigentes do hospital, superfaturamento e emissão de empenho anterior à adesão em ata de registro de preços.

 



(continuação)
Peço desculpa em nome da minha classe corporativista por não oferecer à população o tratamento que ela merece. Podemos fazer muito pela população, mas criar novos leitos hospitalares, criar hospitais de referência em outras cidades, fornecer medicamentos às farmácias dos hospitais e Postos de Saúde, não depende apenas de nós.
 
Ronaldo Issashi Furuta em 28/07/2013 01:15:00
Percebo que existem pessoas que não estão lendo corretamente as notícias. Nesta reportagem, fica evidente que o problema não foi a falta de médico, e sim a falta de estrutura. Mas mesmo assim, a crítica recai sobre a nossa classe "corporativista". É nossa a culpa de os pacientes precisarem esperar uma semana em uma das maiores cidades do nosso estado para tratar uma doença frequente em todos os hospitais; é nossa culpa o paciente esperar dentro da ambulância ou no corredor dos hospital para receber o atendimento necessário e um lugar adequado para ser tratado; somos nós médicos que não queremos acomodar os pacientes nos leitos que não existem nos hospitais, não queremos tratar os pacientes nas várias salas cirúrgicas que não existem, com os medicamentos que não dispomos.
 
Ronaldo Issashi Furuta em 28/07/2013 01:09:50
Grande novidade...... Em um pronto socorro de que tem capacidade de 30 leitos e tem de 80 a 100 pacientes internados!!! Isso acontece diariamente e há muito tempo.
Campo Grande precisa de no minimo mais 3 hospitais.
O Hospital do trauma e Unidade de Pronto Atendimento ( UPA ) não muda esse tipo de realidade.
 
Jose Henrique em 26/07/2013 16:35:33
O Governo Federal libera os recursos, mas sem fiscalização os corruptos carregam tudo; compram apartamentos caríssimos, fazendas,estabelecem clínicas e hospitais em outros Estados da Federação,levam dinheiro para fora do país,e o pior de tudo isso é que esses administradores, prefeitos,governadores, são médicos que numa deslavada hipocrisia dizem se preocuparem com a saúde do povo brasileiro.Parece uma piada de mal gosto.Depois,essa classe corporativista quer impedir o governo brasileiro de trazer médicos de fora.Insistem num revalida que nem mesmo eles conseguem passar.Se não, é só ver as manchetes pelos jornais,imprensa,internet de mortes por erros médicos e descaso com pacientes como o caso em epígrafe.Nos congressos auto-bajulam-se e são bajulados,venham in-lóco e vejam as mentiras.
 
João Alves de Souza em 26/07/2013 16:22:07
Que a saúde do Brasil esta em coma a anos não é novidade para ninguém,o caos,descaso,corrupção e falta de compaixão pelo próximo fica evidente no tratamento oferecido pelas autoridades responsável pela pasta da saúde aos cidadãos brasileiros,os hospitais de Campo Grande estão saturados em razão da super lotação,pois atendem todos os municípios de MS.Gostaria de pedir para dona Sandra Mendonça,cobrar das autoridades de Três Lagoas e denuncia-las,pois neste casos a principal responsável por esta situação é a prefeitura,um município com o potencial de crescimento e desenvolvimento desta cidade tem que estar preparado para atender um IAM,sua cidade recebe verba para investir na saúde.
 
Aurelino Centurion em 26/07/2013 15:34:37
quem é o responsável por tamanho crime?? já sei: ninguém....
 
gerson silva em 26/07/2013 15:22:04
cade o Dorsa? cade o siufi? o dinheiro federal vem ,infelizmente cai na mão de bandido,acredito em DEUS, a justiça será feita!!!!!!
 
osvaldo willian da silva em 26/07/2013 13:24:42
Ele bem poderia estar no CTI do aquário do Andrea Pucineli ou no Hospital São nelsinho TRad ou HOSPITAL SAÕ MOKA OU HOSPITAL SÃO GERALDO REZENDE OU HOSPITAL SÃO DELCIDIO OU HOSPITAL DE CAMPO GRANDE.... CADÊ AS VAGAS DE TRAUMA DO HOSPITAL DO TRAUMA ... CADÊ O EX SECRETÁRIO FEDERAL LUIZ HENRIQUE MANDETTA QUE NÃO AUMENTOU UM LEITO EM HOSPITAL DE CAMPO GRANDE, A CLASSE MÉDICA BABA DE FELICIADADE QUANDO O VÊ FALAR NO CONGRESSO...
 
vinecris austin em 26/07/2013 13:21:45
concordo plenamente nei salviano isso Absurdo,,, cade dinheiro que pagamos tanto imposto vai pra onde ,, ta no bolso de alguem porqe saude continua mesma coisa precaria demais,,, isso falta respeito com cidadão , com pessoa idade,, se bandido vai preso por mais imundo que ele seja ta la direitos humanos apoaindo protegendo,,,, cade Direitos humano nessa hora ? caberia eles zelar pela populacao idosa,,, caberia estado ter mais atencao com populacao ,,,ta complicado
 
Rosilene leonel em 26/07/2013 13:16:29
Realmente estamos em um caos na saúde pública e o que pior sem previsão de que tudo isso se resolva. Bom minha gente como o Infarto é uma situação de extrema emergência e urgência e este cidadão teve toda esta demora com risco de morte elevadíssimo, calculamos as outras enfermidades. O nome disso tudo chama-se CORRUPÇÃO, cá entre nós a cura desta doença está muito longe de ser resolvida. Infelizmente é o nosso Brasil desordem e regresso. Como o jornal de Chicago comentou em seu periódico referindo-se sobre as olimpíadas que eles perderam para o Rio de Janeiro " Perdemos para isso"!!!
 
Marcos Souza em 26/07/2013 12:44:50
QUE PODRE É O SISTEMA:



O SENHOR ENFARTADO FICA JOGADO NOS CORREDORES DURANTE TODO ESSE PERÍODO A ESPERA DE UMA VAGA, SERÁ QUE ESSE SENHOR TERÁ A SORTE DE CONTINUAR VIVO ATÉ O INICIO DO TRATAMENTO?????

Esta claramente sendo desrespeitado a CONSTITUIÇÃO FEDERAL, o ESTATUTO DO IDOSO e tudo o que se refere a DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA.


ISSO É UMA VERGOLHA

SERÁ SE FOSSE PAI DE ALGUMA " ESTRELA" ELE ESTARIA AI NOS CORREDORES AINDA???????

ou já teria arrumado um apartamento??????



NEI SALVIANO
INDIGNADO
 
nei salviano em 26/07/2013 12:17:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions