A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

26/04/2014 12:10

Estacionamento caro e movimento fraco marcam início da Expogrande

Filipe Prado
Motoristas reclamaram do preço alto e prevêem que valor suba (Foto: Cleber Gellio)Motoristas reclamaram do preço alto e prevêem que valor suba (Foto: Cleber Gellio)

Com movimento fraco nos primeiros dias de Expogrande, motoristas reclamaram do alto preço do estacionamento e concluíram que o valor irá aumentar no decorrer da feira. O valor cobrado chega a R$ 20 no local oficial da exposição, mas vários estacionamentos “clandestinos” cobram de acordo com a demanda de clientes.

No estacionamento conveniado da exposição o movimento ainda é fraco. São três mil vagas, mas na primeira noite (24) somente 150 veículos ocuparam os lugares. “A partir do final de semana eu creio que o movimento aumente”, afirmou o proprietário do estacionamento Ronaldo Solis, 32 anos.

De acordo com Ronaldo, o maior lucro será no dia do Jorge e Mateus, prevista para quarta-feira (30) e véspera de feriado. “Disseram que este show irá pagar 80% da feira”, comentou.

Mas o vários estacionamento “clandestinos” disputam lugar com o de Ronaldo. Pedro de Alcantara, 65, abriu a casa para os motociclistas estacionarem as motos, mas sem tabela de preço. “Nós cobramos conforme o movimento. Hoje, como está fraco, cobraríamos R$ 10”, contou.

Como o movimento ainda não é o esperado, muitos motoristas conseguiram parar fora dos estacionamentos, mas reclamaram dos “flanelinhas”. “Ele me cobrou R$ 10 para estacionar aqui. Achei um absurdo”, admitiu o empresário Vitor Hill, 30.

Eles reclamam também do aumento do preço do estacionamento. “Subiu bastante. Se fosse R$ 5 seria justo, mas com esse preço prefiro estacionar fora e correr o risco”, afirmou o empresário.

O casal José Carlos Marques, 41, e Ana Paula Souza, 31, preferiram deixar a moto em um estacionamento, porém não puderam deixar os capacetes no local. Eles disseram que só voltarão no local caso não aconteça nenhum problema. “Dependendo de hoje nós voltaremos, mas, pelo preço, seria melhor se pudéssemos deixar o capacete aqui”, provocou José.

Mas Ronaldo afirmou que preço não irá mudar. "Será o mesmo valor até o final da feira", alegou.

Estacionamento cobram, em média, R$ 20 para carros e R$ 10 para motos (Foto: Cleber Gellio)Estacionamento cobram, em média, R$ 20 para carros e R$ 10 para motos (Foto: Cleber Gellio)

Movimento - Segundo o chefe de divisão de fiscalização de trânsito da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), José Alvez de Arruda Filho, o tráfego ainda não é intenso, o que pode mudar durante o fim de semana. A partir disso, os agentes farão as interdições necessárias nas ruas, priorizando sempre o pedestre.

“No sábado é o maior movimento, mas dependendo do show também teremos que interditar algumas ruas e planejar o trafego, para que o pedestre possa circular e não prejudique a movimentação dos veículos”, explicou Arruda.

Pedro explicou que abre a casa há mais de 30 anos e nunca viu um movimento tão fraco como o deste ano. “Eu acho que isso aconteceu por conta dos shows. E acho que se continuar assim a feira pode acabar”, concluiu.

Expogrande - A 76ª Expogrande 2014 acontece até 4 de maio no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande.

Ao todo serão realizados cerca de 40 leilões com mais de 20 mil animais e o movimento total deve superar R$ 250 milhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions