A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

06/12/2015 19:40

Estragos da chuva e dengue vão levar Bernal a decretar situação de emergência

Flávio Paes
Em alguns trechos, asfalto esfarelou depois da chuva (Foto:Gerson Walber)Em alguns trechos, asfalto "esfarelou" depois da chuva (Foto:Gerson Walber)

O prefeito Alcides Bernal (PP) depois de se reunir nesta segunda-feira com o pessoal técnico da Secretaria de Infraestrutura, planeja decretar situação de emergência, em função dos estragos provocados pelas chuvas que caíram sábado em Campo Grande e do quadro que a Secretaria Municipal de Saúde já de epidemia de dengue, além dos risco do surto de Zika Vírus.
O prefeito na terça-feira pretende ir a Brasília onde buscará no Ministério da integração Nacional recursos para custear os estragos. Em seu favor, o fato do ministro que comanda a pasta, Gilberto Occhi, ter sido indicado para cargo por seu partido (o PP).
Entretanto, mais do que o trânsito político, a Prefeitura, se quiser buscar recursos federais para calamidades públicas, terá de cumprir um rito burocrático, do reconhecimento da situação de emergência no âmbito estadual e federal. No Mato Grosso do Sul há pelo menos 14 cidades já em situação de emergência decretada pelo Estado, com regiões isoladas, por pontes destruídas, estradas obstruídas pelo rompimento de aterro.

Por enquanto a Prefeitura não tem ainda números sobre prejuizos e quanto precisaria de recursos para recuperar os estragos. Bernal diz que esta chuva de sábado serviu para demonstrar a "fragilidade" das obras de controle de enchente que o ex-prefeito Nelson Trad Filho executou, especialmente na rotatória da Via Parque e na região do Shopping Campo Grande, com o transbordamento do Sóter.

"Pelo visto as obras foram mal executadas, por erro de projeto ou descumprimento do que estava planejado. Se gastou R$ 11 milhões na Via Parque e a obra não segurou anda. Pelo contrário, parece que agravou a situação. Boa parte do asfalto executado está esfarelando. Tem lugar que o asfalto não tem 2 centímetros de espessura, é uma vergonha", ataca o prefeito, que citou como exemplo de obras executadas, os recapeamentos das avenidas Guaicurus, Bandeira e Spipe Calarge, por coincidências, todas executadas na sua própria gestão.

 

Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions