ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Ex-guarda que matou professora e integrantes do PCC serão julgados em maio

Na época, ainda guarda, Valtenir Pereira matou a tiros a ex-namorada, o amigo dela e feriu jovem a tiros

Dayene Paz | 27/04/2022 15:14
Maxelline da Silva dos Santos foi morta aos 28 anos pelo ex-namorado, Valtenir Pereira. (Fotos: Reprodução das redes sociais)
Maxelline da Silva dos Santos foi morta aos 28 anos pelo ex-namorado, Valtenir Pereira. (Fotos: Reprodução das redes sociais)

O mês de maio começa com o julgamento de um caso que repercutiu em Mato Grosso do Sul, do ex-guarda Valtenir Pereira da Silva, que matou a tiros a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos, de 28 anos, e o amigo dela, Steferson Batista de Souza. Também estão marcados júris de integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital), acusados de "Tribunal do Crime" e tentativas de homicídio, em Campo Grande.

Caso Maxelline - O duplo homicídio foi em 29 de fevereiro de 2020, no loteamento Nova Serrana, na Capital. De acordo com a denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Valtenir, descumprindo medida protetiva, procurou a ex-namorada, que participava de churrasco na casa dos amigos.

Maxelline foi conversar, mas o diálogo virou discussão e Camila Bispo - amiga de Maxelline - tentou acalmar os ânimos. Porém, ele empunhou a arma de fogo, Camila saiu correndo, mas mesmo assim foi atingida nas costas. Steferson Batista de Souza, 32 anos, marido de Camila, saiu do imóvel para ver o que estava acontecendo e foi morto. Por último, Valtenir matou a ex-namorada.

Pela morte da jovem, ele vai a júri por feminicídio, motivo torpe, descumprimento de medida protetiva e violência doméstica. Em juízo, ele disse que ficou “pilhado” quando chegou à casa da amiga da ex-namorada. O júri acontece na próxima quinta-feira, 5 de maio. 

Outros júris - O primeiro júri popular do mês será no dia 4 de maio (quarta-feira), pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, no qual dois réus são acusados do homicídio de uma jovem, no dia 26 de março de 2018, no bairro Nova Campo Grande. Eles teriam matado a vítima com instrumento cortante, desferindo vários golpes, principalmente no rosto e cabeça.

O primeiro julgamento do caso ocorreu em setembro de 2019, com apenas um dos envolvidos, pois o outro havia recorrido. Após o julgamento dos recursos, foi determinada a realização de novo júri, e, desta vez, contará com a presença de ambos.

No dia 12 de maio, pela 1ª Vara do Tribunal do Júri, será submetido a julgamento um acusado de tentativa de feminicídio. A denúncia aponta que o fato ocorreu no dia 28 de janeiro de 2020 no bairro Vivendas do Parque. A vítima e o acusado mantiveram relacionamento amoroso por cerca de um ano e, na referida data, ele teria ido até a casa desta, onde iniciaram uma conversa que resultou no término do relacionamento.

Mais tarde, a vítima estava na frente da casa de sua amiga, quando o acusado chegou e começou a atirar em direção a ela. A vítima fugiu, mas o acusado continuou efetuando disparos, a atingindo. Após isso, ele se evadiu do local. Já a vítima foi socorrida e sobreviveu aos ferimentos.

No dia 13 de maio, vai a júri outro homem acusado de tentativa de feminicídio. O fato aconteceu no dia 22 de maio de 2019, no Bairro Jardim Santa Emília, quando o acusado tentou matar sua companheira. O primeiro julgamento ocorreu em maio de 2021, sendo que, após recurso do Ministério Público, o ato foi anulado e foi determinada a realização de novo júri popular.

Segundo a denúncia, o casal estava junto há 15 anos e possuía três filhos. Consta nos autos que o relacionamento entre eles era conturbado e o réu já teria agredido física e psicologicamente a vítima em outras ocasiões.

Quatro dias antes do ocorrido, a vítima decidiu separar-se do acusado, comunicando-o tal decisão. Eles permaneceram na mesma residência, porém em quartos separados. No dia dos fatos, a vítima dormia com a filha de quatro anos, quando o réu adentrou o local com uma faca e mãos e passou a desferir golpes contra a mulher. Ela reagiu às investidas, ocasião em que a faca quebrou e ele passou a enforcá-la.

O filho do denunciado retirou a criança do quarto e foi em busca de socorro, ocasião em que o réu foi até a cozinha, pegou outra faca e desferiu novos golpes no tórax da vítima. A vítima conseguiu desvencilhar-se dele e fugiu, sendo socorrida, e sobreviveu aos ferimentos. Ele será levado a júri acusado de tentativa de feminicídio em situação de violência doméstica e familiar contra a mulher. O julgamento será realizado pela 2ª Vara do Tribunal do Júri.

No dia 27 de maio, outro acusado de feminicídio irá a júri popular pela 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. Segundo a denúncia, o crime aconteceu na madrugada do dia 29 de setembro de 2020, no Bairro Jardim Colibri. O réu teria efetuado disparos de arma de fogo contra sua ex-companheira, causando sua morte.


Nos siga no Google Notícias