ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 19º

Capital

"Exposed" chega à Deam, que apura "atos libidinosos" de fotógrafo

“As mulheres têm que entender que o corpo é delas e elas têm que ter consciência de que isso que acontece é crime”, disse delegada

Por Izabela Sanchez e Bruna Marques | 03/06/2020 10:06
Delegada adjunta da Deam, Anne Karine (Foto: Henrique Kawaminami)
Delegada adjunta da Deam, Anne Karine (Foto: Henrique Kawaminami)

O movimento #exposedcg saiu do Twitter e agora foi parar na Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher). Jovem de 19 anos procurou a delegacia na terça-feira à noite depois de expor o caso na rede social. Ela denunciou um fotógrafo em crime que é investigado, agora, como importunação sexual com atos libidinosos.

Delegada adjunta, Anne Karine Sanches Trevizan comentou que, segundo depoimento colhido, o caso ocorreu no dia 14 de março, mas a vítima declarou que só com o movimento online teve coragem de pedir investigação.

À polícia, a jovem contou ter sofrido os assédios quando foi trabalhar como modelo para uma campanha de roupas íntimas.

A delegada não quis detalhar o caso para não expor a vítima, e contou não saber a idade do envolvido, mas disse que, segundo o relato, o fotógrafo tocava o corpo da vítima  durante a sessão de fotos e só parou porque amigos dela chegaram ao local.

Investigação será ampliada – Anne relatou que vai ouvir o acusado pela jovem amanhã, quinta-feira (4), além de ouvir uma testemunha. A intenção é ampliar a investigação para saber se mais meninas e jovens sofreram o mesmo assédio do fotógrafo. A pena para este tipo de crime é de 1 a 5 anos de prisão.

“As mulheres têm que entender que o corpo é delas e elas têm que ter consciência de que isso que acontece é crime. E os homens tem que ter a consciência de que o que fazem é crime. É muito importante que as meninas procurem a delegacia para poder fazer a denúncia”, orientou.

A Deam é localizada na Casa da Mulher Brasileira, inaugurada em 2015, com atendentes, delegadas e promotora, todas mulheres. O complexo de serviços que investigam e combatem crimes de gênero fica na região do Aeroporto e funciona durante 24h.