ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Depois de acusações no Twitter, 6 homens acionaram polícia contra “#exposedcg”

Eles registraram boletim de ocorrência por calúnia, injúria e preservação de direito contra movimento com 19,7 mil publicações

Por Izabela Sanchez | 03/06/2020 08:52
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Entre ontem (2) hoje (3), seis homens, dentre milhares citados no movimento #acusedcg, no Twitter, já buscaram a polícia . A campanha expõe pessoas como "abusadores" e mobiliza diversas cidades do Brasil. Em Campo Grande ganhou força na noite de segunda-feira (1) e hoje já alcança 19,7 mil publicações.

Os boletins de ocorrência foram registrados nas Depacs (Delegacias de Pronto Atendimento Comunitário) de Campo Grande, Centro e Cepol. Jovens, todos os adultos citados no Twitter têm entre 21 e 27 anos.

O mais velho se sentiu atingido pela publicação que o relaciona com assédio “ao se passar por amigo”. Na postagem contra ele, mulher que se diz amiga de uma vítima garante que o rapaz “paga de bom moço, amiguinho... Mas na primeira oportunidade ta passando a mão, molestando, fazendo piadas e jogando indiretas com teor sexual seja pessoalmente ou por rede social, e se acha no direito de ser íntimo amigo! (sic)"

Outro, de 21 anos, que entrou na lista de acusações, procurou a delegacia com prints do material dizendo que foi exposto a “falsas acusações”.

Em outro caso, dois "denunciados" registraram juntos o boletim de ocorrência, depois de postagem indicar que "abusam de várias meninas em boates e roles pela cidade". Segundo eles, como não têm Twitter, ficaram sabendo do ocorrido "através de um amigo" e se falaram da surpresa por não conhecerem ninguém com o nome da denunciante.

Um dos homens, de 25 anos, foi acusado na rede social por questão ainda mais séria: estupro. Segundo ele, o mais estranho foi o fato da denúncia não vir diretamente da pessoa que se diz vítima, mas de "amigos". "Me acusaram de estuprador sem nenhuma prova. Contando uma história sem fundamento. Esse tipo de depoimento falso tira o crédito de um movimento tão importante e pode acabar com a vida de alguém de graça. Imagina vc acordar um belo dia e ser acusado de estuprador?", questiona. O rapaz procurou a polícia e garantiu que vai processar a responsável pela postagem.

Entenda – Em 1 dia, o número de publicações com acusações que vão de assédio sexual à estupro dobrou de número, chegando a 19,7 mil posts no Twitter com a tag #exposedcg. Segundo a análise feita pelo Campo Grande News, 18,5 mil pessoas utilizaram a tag para falar sobre o assunto, que já alcança 12,5 mil pessoas no Twitter.

De menores de idade à jovens adultas, elas relatam machismo e dificuldade em buscar as autoridades, conforme as publicações, e dizem “terem perdido o medo” de expor o que parece ser prática generalizada na cidade. Chama a atenção que as publicações abrangem desde colegas de escola até professores de escola e faculdade.

A exposição online é um movimento que tem crescido nos últimos anos, provocando condenações judiciais de criminosos ligados há casos que às vezes ocorriam por décadas. Ainda assim, delegadas e advogada explicaram ao Campo Grande News que todas as pessoas que publicam, maiores ou menores de idade (com perfis anônimos ou verdadeiros) devem tomar cuidado porque qualquer pessoa citada pode acionar a Justiça por sentir-se lesada.

Elas orientam acompanhamento jurídico para evitar “linchamento virtual” e encaminhar as denúncias para Depca (Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente) e Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher).