ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Família diz que jovem não morreu por dever droga: foi vítima do namorado

O celular da vítima foi entregue à delegada, em que estavam mensagens com ameaças

Por Ana Beatriz Rodrigues | 14/11/2023 15:57
Equipe da Deam na unidade de saúde onde a jovem morreu (Foto:Osmar Daniel)
Equipe da Deam na unidade de saúde onde a jovem morreu (Foto:Osmar Daniel)

A morte de Gabriela de Oliveira Belentani, de 18 anos, que de início era tratada como assassinato por dívida de drogas, tomou um rumo diferente nesta semana. Desde ontem (13), a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) trata o caso como feminicídio e violência doméstica. O caso ganhou outro rumo após o celular da jovem ser apresentado na delegacia pela família, com ameaças do namorado.

Durante a manhã desta terça-feira (14), parente da jovem conversou com a equipe do Campo Grande News. Segundo o relatado, a primeira informação de que houve discussão antes dos disparos não existe, conforme a pessoa, o atirador se aproximou e disse apenas: "toma aqui o que você merece, Gabi". "Esse rapaz era namorado dela”, afirmou.

Ainda em conversa, a parente muito próxima disse que o crime tem três envolvidos. O primeiro agrediu a jovem um dia antes. No dia seguinte, o namorado pegou a arma com um amigo e depois cometeu o feminicídio.

A princípio, a polícia levantou a hipótese de o crime ter sido motivado por dívidas de drogas, já que a vítima era dependente química, informação confirmada pela família. “Ela era usuária, mas o namorado dela já tinha feito ameaças várias vezes”, contou.

O Campo Grande News procurou a delegada Analu Ferraz que está à frente das investigações, mas até o momento ela não respondeu aos questionamentos. A assessoria da Deam disse que “por enquanto a delegada não falará sobre o assunto”, finalizou.

O caso - No dia 10 de novembro, Gabriela abordou um vizinho para pedir carona até a casa da mãe, quando foi surpreendida pelo atirador, que até o momento não foi identificado. O rapaz disparou contra ela cerca de seis vezes. Condutor de um Fiat Uno então socorreu a vítima até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Universitário.

A jovem morreu no caminho e, segundo a Polícia Civil, ela seria dependente química. O crime aconteceu na Rua Nilton Évora. Equipe da Polícia Militar também esteve no local. A arma usada pelo atirador e o responsável pelos disparos ainda não foram encontrados.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias