ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Família recorre à Justiça para visitar baleado em troca de tiros

Defesa entrou com pedido de liberdade provisória em caráter de urgência já que rapaz está sob risco de morte

Ana Paula Chuva | 12/09/2022 16:34
Camionete de Francisco em frente à Depac Centro no dia do crime. (Foto: Paulo Francis)
Camionete de Francisco em frente à Depac Centro no dia do crime. (Foto: Paulo Francis)

A família de Francisco Pereira dos Santos Neto, 24 anos, recorreu à Justiça para conseguir acompanhá-lo no hospital. O rapaz foi baleado no último domingo (11), após trocar tiros com o segurança de uma tabacaria no Bairro Amambai, em Campo Grande, e está sob risco de morte.

Francisco está internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) da Santa Casa e por ter sido preso em flagrante por posse ilegal de arma, está sob escolta policial e não pode ter o estado de saúde divulgado pelo hospital.

No entanto, a defesa do rapaz entrou com pedido de liberdade provisória em caráter de urgência, ou que ao menos, o juiz autorize as visitas familiares, já que o estado de saúde de Francisco é considerado grave.

Conformou apurou o Campo Grande News, o rapaz sofreu grande perda de sangue e precisou tirar parte do intestino grosso. Ele passou por duas cirurgias e está respirando com a ajuda de aparelhos, sob risco de morte.

No pedido de liberdade, a defesa alega que o rapaz é réu primário e exerce um trabalho lícito administrando uma tabacaria no Jardim Leblon, além de citar o estado de saúde considerado grave.



O caso - Francisco foi baleado na madrugada do domingo, após confusão na tabacaria que fica na Avenida Ernesto Geisel. Conforme o boletim de ocorrências, o rapaz foi atingido nas nádegas e socorrido pelo Corpo de Bombeiros para a Santa Casa da Capital.

Conforme o pai da vítima, de 47 anos, que não quis se identificar, o filho comemorava o aniversário na tabacaria com cerca de dez amigos, quando se desentendeu com uma mulher dentro do estabelecimento. Durante a confusão, o rapaz foi colocado para fora e agredido pelos seguranças.

Ainda segundo relatos do pai, ao tentar se defender das agressões, o filho reagiu e a arma do segurança caiu. Neste momento, o rapaz pegou a arma e tentou disparar, mas não conseguiu. Desesperado com a situação, ele correu e foi em direção a sua caminhonete Toyota Hilux, estacionada na rua, próximo ao local.

O segurança foi atrás e disparou várias vezes contra o rapaz, que já estava dentro da caminhonete, conforme o pai.  Mesmo ferido, ele conseguiu dirigir até a Rua Brilhante onde foi socorrido. No veículo foram encontradas sete marcas de tiro.

Marcas de tiro e sangue na camionete dirigia por Francisco. (Foto: Paulo Francis)
Marcas de tiro e sangue na camionete dirigia por Francisco. (Foto: Paulo Francis)

Já a versão do registro policial é de que policiais militares faziam rondas pela região quando foram interceptados por testemunhas relatando que havia acabado de acontecer um tiroteio e um dos envolvidos estava em uma Toyota Hillux branca. A equipe fez buscas na região e encontrou o veículo que seguia pela via em direção oposta.

Os policiais fizeram a abordagem e encontraram o rapaz ferido, sangrando. Na porta do veículo, havia um revólver calibre 38, com numeração raspada, com cinco projéteis deflagrados. Consciente, ele confessou que a arma era sua. Ele foi socorrido e dentro da camionete ainda foram apreendidos quatro telefones celulares, uma garrafa de whisky vazia e duas de energético.

Francisco acabou preso por porte ilegal de arma. Para a equipe de reportagem, um dos amigos da vítima, que estava junto com ele na tabacaria, confirmou que os tiros foram disparados por um dos seguranças. O caso segue sob investigação policial.

Nos siga no Google Notícias