ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Famílias que tiveram barracos removidos em reintegração terão auxílio de R$ 500

Anúncio foi feito durante cadastramento dessas famílias para habitação, na manhã desta quinta-feira

Por Viviane Oliveira e Cleber Gellio | 23/06/2022 11:38
Ariane, de blusa cor-de-rosa, durante cadastro nesta manhã no Cras (Foto: Marcos Maluf)
Ariane, de blusa cor-de-rosa, durante cadastro nesta manhã no Cras (Foto: Marcos Maluf)

As famílias que tiveram os barracos derrubados durante reintegração de posse, ocorrida no começo deste mês no Jardim Los Angeles, terão auxílio de R$ 500 por seis meses, qualificação profissional e encaminhamento para o mercado de trabalho.

O anúncio foi feito durante cadastramento dessas famílias para habitação, na manhã desta quinta-feira (23) com a Amhasf (Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários) e a Defensoria Pública, no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) do bairro, na Rua Artur Pires.

Segundo Cláudio Marques Costa Júnior, diretor social de contratos, administração e finanças da Amhas, o benefício disponibilizado por meio do programa assistencial do município chamado Recomeçar será para quem se enquadrar nas regras. “No total, o programa vai beneficiar cerca de 500 famílias que não recebem nenhum benefício”, disse.

Hoje, pela manhã, cerca de 20 famílias haviam procurado o órgão para fazer o cadastramento. Teve muita gente também que aproveitou para providenciar documentação e certidões. Durante a reintegração, muita gente perdeu os documentos. A prefeitura disponibilizou 3 veículos para fazer o transporte dessas pessoas até o Cras.

Enquanto os pais eram atendidos no Cras, crianças brincavam no parquinho montado no patio do órgão (Foto: Marcos Maluf)
Enquanto os pais eram atendidos no Cras, crianças brincavam no parquinho montado no patio do órgão (Foto: Marcos Maluf)

Conforme o diretor, atualmente o déficit habitacional de Campo Grande é de 42 mil moradias. “Em agosto vai ter um novo feirão habitacional, 504 unidades serão sorteadas. As famílias que estão se cadastrando hoje já poderão participar”, destacou.

Cláudio reforçou que novas ocupações não serão permitidas para não ser injusto com outras famílias que estão cadastradas aguardando sorteio. A defensora pública Célia Rodrigues Magro, coordenadora do Núcleo Fazenda Pública, Moradia e Direitos Sociais, também participou da ação auxiliando as famílias. Ela disse que após a reintegração de posse entrou em contato com a agência para agendar reunião.

Uma das moradoras que não tinha cadastro habitacional, Ariane Michelle Vieira, de 36 anos, disse que se for beneficiada, o auxílio de R$ 500 vai ajudar muito, mas não vai resolver o problema. “Vai saber quando vamos ser sorteados com uma casa”, disse.

No caso de Ariane, ela, o marido e o filho maior de idade estão na lista para receber o benefício. Se os três conseguirem, vai dar um fôlego, metade desse dinheiro vai para o aluguel. A dona de casa vai participar da capacitação para ser inserida no mercado de trabalho. “Sou cozinheira. Estou desempregada há três meses”, lamentou.

O jardineiro Messias Barbosa da Silva, 38 anos, aproveitou para renovar o cadastro habitacional realizado há mais de 20 anos. “Tenho esperança que tudo vai se encaminhar bem. Tenho dois filhos e está chegando mais um”, disse. Messias está separado da esposa e precisa prestar auxílio aos filhos e à ex-mulher. “Não vou deixar de buscar o pão para os meus filhos. Sobre o auxílio de R$ 500, ele afirma que vai dar para começar a organizar a vida.

No dia 13 deste mês, cerca de 70 famílias tiveram os barracos derrubados, na Rua Brígida de Melo, Jardim Los Angeles. A ação de reintegração contou com equipes da prefeitura usando retroescavadeira, guardas civis metropolitanos e policiais militares. A ocupação havia recebido o nome de "Paris", segundo os moradores.

Nos siga no Google Notícias