ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Foragido há 6 dias, guarda municipal que matou 2 em churrasco é preso

Com mandado de prisão preventiva, o guarda chegou a publicar nas redes sociais textos de despedidas

Viviane Oliveira e Clayton Neves | 06/03/2020 09:01
Guarda chegando na delegacia de bermuda, chinelo, camiseta, usando boné e óculos escuros, para não ser identificado pela imprensa (Foto: Henrique Kawaminami)
Guarda chegando na delegacia de bermuda, chinelo, camiseta, usando boné e óculos escuros, para não ser identificado pela imprensa (Foto: Henrique Kawaminami)

O guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, 35 anos, foragido desde o dia 29 de fevereiro por matar a ex-mulher Maxelline da Silva dos Santos e o amigo dela, Steferson Batista de Souza, foi preso pela Guarda Municipal, na manhã desta sexta-feira (6).

Ainda não há detalhes, mas a primeira informação é de que Valtenir ligou para Guarda Municipal e se entregou na base do Aero Rancho, onde era lotado. Ele chegou há pouco na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), de bermuda, chinelo, camiseta, usando boné e óculos escuros, para não ser identificado pela imprensa.

Na manhã de ontem (5), denúncias anônimas levaram as equipes especializada a uma casa no Jardim Aero Rancho, que servia de esconderijo para o guarda. O endereço, segundo a Polícia Civil, pertence ao irmão de Valtenir.

No local, os policiais encontraram fardas do suspeito e até a carteira funcional dele, no entanto, quando as equipes chegaram, ele não estava mais na residência. A suspeita é que ele tenha percebido a movimentação e fugido minutos antes. Com mandado de prisão preventiva, o guarda chegou a publicar nas redes sociais textos de despedidas.

Nesta sexta, Valtenir foi convocado pela Sesdes (Secretaria Municipal Especial de Segurança e Defesa Social) para comparecer à Corregedoria e acompanhar instrução de processo aberto por abuso de autoridade.

Publicada no Diogrande (Diário Oficial do Município), a convocação estipula prazo de cinco dias e permite ao guarda municipal se apresentar com advogado. No ano passado, ele foi denunciado, ao lado de outro guarda municipal, por abuso de autoridade. O caso chegou em fevereiro à 10ª Vara do Juizado Especial Central e ainda não houve decisão.

Crime - Por volta das 23h de sábado (29) Valtenir foi até uma casa no Jardim Noroeste, em Campo Grande, onde Maxelline participava de um churrasco. No portão da residência, ele foi atendido por ela e a amiga Camila Telis Bispo.

Os dois discutiram, e o guarda atirou na cabeça de Maxelline. Camila saiu correndo, foi atingida nas costas e o marido dela, Steferson Batista de Souza, saiu da casa para ver o que estava acontecendo e também foi baleado. Ele e Maxelline morreram a caminho do hospital.

Nos siga no Google Notícias