A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

19/05/2016 21:10

Fraudadores de energia contratam homem para "resetar" peças adulteradas

Nyelder Rodrigues
Equipamentos apreendidos foram apresentados pela Polícia Civil (Foto: Reprodução/PCMS)Equipamentos apreendidos foram apresentados pela Polícia Civil (Foto: Reprodução/PCMS)

Subiu para 100 o número de pessoas envolvidas com as fraudes no consumo de energia elétrica, descoberto recentemente pela Polícia Civil. Além disso, um homem contratado para desfazer as fraudes e despistar as investigações, resetando equipamentos adulterados, foi preso e levado à 5ª DP (Delegacia de Polícia Civil).

Comandada pela equipe da 5ª DP e do SIG (Serviço de Investigações Gerais), a Operação Cabrito estourou com a prisão de um leiturista na semana passada, suspeito de participar das fraudes. Naquele momento, mais de 40 pessoas envolvidas foram identificadas, explica o delegado João Reis Belo.

"Agora prendemos outro leiturista agindo da mesma forma, e hoje estamos próximos de 100 pessoas identificadas e que já foram notificadas", frisa o delegado, que afirma aguardar todos os laudos do Instituto de Criminalística ficarem prontos para fazer comparativos e se ter ideia do prejuízo total causado.

"Recebemos alguns informes, mas ainda sem a totalidade. Mas são cifras altíssimas. Sabemos que o prejuízo para a empresa [Energisa, responsável pelo fornecimento em Campo Grande] é milionário", destaca Reis. Os envolvidos já foram notificados a comparecer à delegacia e serão indiciados por corrupção ativa e passiva.

"Descabriteiro" - A Polícia Civil prendeu e apresentou hoje também um homem que não teve a identidade revelada. Ele afirma que, há uma ou duas semanas, foi contrato pelo grupo que oferecia as fraudes aos consumidores para desfazer as adulterações. "Me passaram os endereços e eu fui resolver o problema", conta.

Os fraudadores usavam equipamento de alta tecnologia que eram capazes de mudar os registros e até resetar as alterações feitas no "relógio" de energia, apagando a fraude.

Além disso, os leituristas faziam uma espécie de sub-leitura, registrando com eles valores inferiores ao do "relógio", recebendo então gratificações para isso.

"Nos imóveis que já fizemos a perícia, incluindo residências e comércios, alguns grandes, tivemos uma média de 20 mil kw por unidade consumidora", revela o perito criminal Sávio Ribas.



É justamente sobre isso que vivo discursando em minhas rodas de amigos. Enquanto o povo brasileira brada contra a corrupção, no dia a dia comete atos similares e não acha que está errado.

Nossos políticos são reflexo do povo. Enquanto não deixarmos de cometer as "pequenas" corrupções cotidianas, as grandes nunca irão cessar.

Deixemos de hipocrisia!
 
Caio Graco P. S. Araujo em 20/05/2016 07:47:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions