A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

08/08/2012 11:56

Funcionários em greve do IFMS vão para as ruas protestar

Paula Vitorino e Nadyenka Castro
Manifestantes fizeram passeata na região central. (Foto: Minamar Júnior)Manifestantes fizeram passeata na região central. (Foto: Minamar Júnior)

Grupo de cerca de 50 funcionários do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) foram para as ruas nesta manhã protestar por melhorias no trabalho. Com faixas, cartazes e apitos, o grupo fez passeata na região central até chegar a sede do Instituto na avenida Afonso Pena.

Os funcionários estão em greve desde meados de junho no Estado, quando aderiram ao movimento nacional das instituições de ensino federais.

De acordo com um dos representantes da categoria, Eder Vilalba, o protesto desta manhã faz parte do calendário de mobilizações de todos os funcionários que estão em greve.

Entre as reivindicações, os funcionários pedem a equiparação dos salários, eleição para reitores e diretores e melhorias na estrutura dos prédios do Estado.

“Tem funcionário que pede transferência até pro Pará por conta do salário. A diferença chega até a R$ 1.500 mil”, exemplificou Eder, referindo-se a equiparação dos salários, já que hoje a remuneração é a mesma para os servidores, independente dos títulos que o profissionais possui.

Eder diz que o Governo Federal apresentou proposta de aumento gradativo pelos próximos 3 anos, mas que isso geraria perda de 12% em relação a inflação, e por isso os profissionais não aceitam a proposta.

Outra questão que os grevistas questionam é a instalação de novas unidades do IFMS nas cidades de Dourados, Jardim e Naviraí. Eder diz que essas cidades são pequenas e não apresentam demanda suficiente.

Moradores prendem suspeito de assaltar mulher com criança no colo
Armado com uma faca, Igor Mateus Lima da Costa, 19 anos, assaltou uma mulher que estava com o filho no colo e acabou preso por moradores. O caso acon...
Homem de 30 anos é esfaqueado e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (12), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Sou mãe de uma aluna da ifms e estou preocupada com essa situação, será que não existe outra forma de protesto? Porque que sempre sobra para os mais fracos? Nesse caso são os alunos, que estão pagando caro ficando sem aula, preocupados, porque com certeza irão ficar sem férias em Janeiro. A minha pergunta é, como que os prof. vão colocar as materias em dias sem prejudicar o aprendizado dos alunos?
 
Matilde de Moraes em 21/08/2012 03:02:27
Antônio Carlos, quanto a "facilitarem para o aluno" o senhor fala sem conhecimento de causa. Sou funcionário público e também estudante de Universidade federal; na faculdade nunca tive qualquer "regalia de ocasião", nem muito menos qualquer colega meu teve isso. Se há greve, é porque o governo atual age diferente do que pregava quando era oposição.
 
Marcel Ozuna em 09/08/2012 09:39:17
Concordo com o Sr. Antonio Carlos. As reivindicações dos professores são plausíveis, porém será que existe somente essa forma de protesto? Neste tipos de manifestações, geralmente quem perde mais não é o grevista ou o governo, é a população que fica sem itens básicos para levar sua vida normalmente. A greve acaba, os pedidos não são aceitos e ficar por isso mesmo. Ano que vem tem mais...
 
Heitor Lemos Nistcheske Alfonso em 08/08/2012 05:50:31
Não estão satisfeitos, peçam exoneração, a população não pode ficar refém de funcionários públicos, pagamos impostos altissímos e exigimos serviços de qualidade(esperança é a última que morre né).
PS: Sou funcionário público e jamais serei a favor de greve.
 
Roberto Inzagaki em 08/08/2012 05:32:00
Só os alunos perdem com essas greves; imagina como sera aplicada as matérias do período letivo; ai começam a facilitar para o aluno para ele ser aprovado e ficar contente; trabalhos escolares também facilitam bastante e assim vai se formando nossos profissionais.
Nós pais de alunos temos de protestar contra essa forma de greve, ou que essa forma de greve tivesse um curto período de direito.
 
Antonio Carlos em 08/08/2012 03:09:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions