A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/10/2012 13:29

Garras detona explosivos pegos com bandidos que furtavam caixas

Mariana Lopes
(Foto: Rodrigo Pazinato)(Foto: Rodrigo Pazinato)

Na manhã desta quarta-feira (17), policiais dos Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) detonaram os explosivos apreendidos com a quadrilha especializada em assaltos a caixas eletrônicos na região do Bolsão. Com o extermínio do produto, o delegado responsável pelo caso, Alberto Rossi, conclui as investigações.

Para simular a ação dos bandidos, ocorrida em agosto deste ano, em Cassilândia, foi utilizado um caixa eletrônico de verdade, fornecido por uma agência bancária de Campo grande. A ação aconteceu na pedreira Santo Anofre, próximo ao Indubrasil, e mobilizou dez policiais civis, cinco peritos criminais e representantes do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados, do Exército.

No total, foram apreendidos 800 gramas de emulsão explosiva, composta por natrato de amônio e óleo combustível, de acordo com a perita criminal Camila Pauluzi Justino, responsável pela analise laboratorial do explosivo apreendido. Segundo ela, para a simulação o produto foi dividido em dois explosivos, cada um com 400 gramas.

Na última ação da quadrilha, em agsoto, quando foram apreendidos os explosivos, a escopeta falhou e por isso o produto não chegou a explodir. A ação de hoje foi feita também para provar a eficácia do explosivo, que deu certo. A força da explosão lançou pedaços do caixa eletrônico a mais ou menos 100 metros de distância.

De acordo com o delegado Rossi, o ambiente aberto diminuiu a força dos explosivos. "Se fosse em um local fechado, os gases não teriam para aonde ir e com certeza destruiria o teto da agência e todos os vidros", explica.

Porém, mesmo com todo o estrago provocado pelo explosivo, o delegado afirma que em casos como estes apenas parte do dinheiro depositado no caixa é perdido. "Dentro da máquina há uma caixa onde ficam as cédulas e as protegem", explica Rossi.

Segundo o chefe do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados, do Exército, major Wenceslau de Almeida Lopes, os explosivos apreendidos é proveniente de contrabando de países vizinhos, de furto ou roubo de empresas que trabalham com explosivos ou no deslocamento do produto para a empresa. O Serviço de Fiscalização do Exército tem o controle de todo o material explosivo comercializado no Brasil.

Caso- No início de outubro, policiais do Garras prenderam em Cuiabá Jorlan de Jesus Alves, de 20 anos, e Cleverson Paulo da Silva Magalhães, de 24 anos, conhecido por Quequel. Os dois comandavam a quadrilha que cometia assaltos a caixas eletrônicos na região do Bolsão.

A última ação deles foi em Cassilândia, quando tentaram explodir o caixa eletrônico de um posto de combustível. Na mesma ocasião, Fábio Luiz Silveira, 19 anos, e Thales Henrique Nascimento, 18 anos, foram baleados durante confronto com a polícia e morreram.

Também foram presos Ednaldo Rocha Alves, 51 anos, tio de Jorlan, e Edson Adão Nicoleti, 45 anos, vulgo Doidão, que participavam dos crimes em Mato Grosso do Sul dando suporte aos cuiabanos.

A quadrilha é acusada de cometer assaltos com explosivos em caixas eletrônicos em cidades do interior de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

 

Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...


Caro Rafael, vá estudar e se instruir sobre a competência de cada polícia, assim evitará de você passar vergonha em escrever bobeira e demonstrar ignorância. A INVEJA MATA, cuidado hein!!!
 
Jussara de Carvalho em 19/10/2012 11:02:06
tinha que ser o FARRAs, obrigado cigcoe por existir..rs
 
raphael saravy em 17/10/2012 21:45:39
AINDA BEM QUE ELES ESTÃO DIRECIONANDO EXPLOSIVOS APENAS PARA OS ROUBOS EM CAIXAS ELETRÔNICOS. É INACREDITÁ VEL, COMO UM PRODUTO TÃO PERIGOSO ESTÁ SENDO ENCONTRADO COM TANTA FACILIDADE NAS MÃOS DE CRIMINOSOS. ISSO É MUITO SÉRIO E O GOVERNO FEDERAL TÉM QUE DIRECIONAR RECURSOS MAIORES TANTO MATERIAL COMO HUMANO PARA QUE ISSO NÃO ATRAVESSE AS NOSSAS FRONTEIRAS TRANSFORMANDO CIDADES PACATAS EM UMA MEDELIN, DOS TEMPOS DE PABLO ESCOBAR.
 
Valter Oliveira em 17/10/2012 18:49:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions