A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

03/11/2014 18:10

Greve nas escolas municipais pode ser a 1ª em 14 anos em Campo Grande

Filipe Prado
A última greve aconteceu em 2000, conforme o presidente da associação (Foto: Marcos Ermínio)A última greve aconteceu em 2000, conforme o presidente da associação (Foto: Marcos Ermínio)

A greve da Reme (Rede Municipal de Ensino), aprovada na manhã de hoje (3) durante assembleia da ACP (Associação Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), é a primeira em 14 anos. De acordo com o presidente da associação, Geraldo Gonçalves, a última aconteceu em 2000, na administração do ex-prefeito André Puccinelli.

“Essa é a primeira greve puxada pela ACP desde 2000, sendo que esta ainda foi de advertência”, comentou Geraldo.

Um ofício, feito por uma comissão da ACP, oficializando a greve e informando à Prefeitura de Campo Grande e à Secretaria Municipal de Educação, já foi entregue. A carta aos pais já foi redigida e enviada à gráfica, para que sejam impressas cópias e, possivelmente, amanhã entregue aos pais.

O presidente revelou que os professores ainda não decidiram como as aulas dos alunos serão repostas. “Depois que o movimento terminar, a associação irá discutir o calendário”. As reposições começaram a ser contadas a partir de hoje (3), já que não houve aula em todas as escolas municipais.

Geraldo ainda admitiu que a greve não é vantajosa para os alunos e pais. “Toda mobilização é ruim para os alunos, pais e professores. Principalmente para os alunos, que não terão aulas, por isso o sindicato discutiu a paralisação como último caso”, finalizou.

Greve – Os professores votaram a favor da greve durante a assembleia na sede da ACP na manhã desta segunda-feira. Em 48h, todas as escolas municipais irão parar, porém a entidade espera um contraproposta antes do início da paralisação.

O sindicato ainda não sabe o período de duração da greve, conforme Geraldo. “Não foi votado um prazo e sim uma solução. Nós queremos uma solução”.

O prefeito Gilmar Olarte (PP) chegou a apresentar, ontem (2), proposta de pagamento para o dia 30 de novembro com retroativo, caso seja confirmado recurso da antecipação de outorga onerosa da Água Guariroba. Contudo, a opção foi rejeitada pelos 800 profissionais reunidos na sede da ACP.

Manifestações – No primeiro dia de paralisação, às 8h, os professores pretendem cobrar a Câmara Municipal por um posicionamento sobre o tema. Já para sexta-feira (7), os profissionais pretendem realizar, às 9h, caminhada da sede da ACP até o Paço Municipal, além de se reunirem em nova assembleia a partir das 14h.

A categoria cobra o reajuste de 8,46%, que vai elevar a remuneração por 20 horas ao piso nacional. De acordo com a ACP, a remuneração inicial vai passar de R$ 1.564 para R$ 1.697 (100% do piso nacional). Já quem está acima na estrutura de carreira terá o salário aumentado de R$ 2.347 para R$ 2.546.

O reajuste para os professores terá impacto de R$ 3,3 milhões na folha de pagamento, ampliando o comprometimento da prefeitura com gastos de pessoal de 48,7% para 49,21%.

Homem é ferido a tiro na saída de pagode no Bairro Taquarussu
Giovani Rodrigues Barbosa, 22 anos, foi baleado no tórax na saída de um pagode, na madrugada deste domingo (18), na Avenida Presidente Ernesto Geisel...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Isso nem o Bernal conseguiu fazer hein Olarte?
 
Max em 04/11/2014 10:36:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions