A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

10/02/2014 11:48

Grupo achou que policial estava morto e Dirceu foi vítima de execução

Graziela Rezende
Delegados falam sobre encerramento do inquérito policial. Foto: Marcos ErmínioDelegados falam sobre encerramento do inquérito policial. Foto: Marcos Ermínio

A Polícia indiciou sete pessoas por envolvimento na morte do investigador Dirceu Rodrigues dos Santos, 38 anos, ocorrida há 12 dias, em Campo Grande. Hoje, o resultado pericial apontou que a vítima morreu com três tiros, sendo que um deles atingiu o abdômen e outros dois foram disparados à queima-roupa, na cabeça. Já o policial Osmar Ferreira, 39 anos, recebeu um golpe “mata leão”, no qual eles acreditaram que ele havia sido morto.

“Este crime foi cometido para assegurar a impunidade de um anterior, que foi o roubo da jóia avaliada em R$ 80 mil. O travesti Alexsandro Gonçalves Rocha, 19 anos, no último momento, não quis entregar a corrente e então contou com a ajuda do irmão, Alexandre Gonçalves Rocha, 21 anos, para imobilizar e asfixiar Osmar”, diz o delegado João Reis Belo, presidente do inquérito policial.

Neste momento, ambos ainda contaram com a ajuda de outros comparsas, incluindo um adolescente de 15 anos. “Eles realmente acreditaram que Osmar estivesse morto, porém ele apenas desmaiou e depois recobrou a consciência. Eles então saíram da casa e Dirceu, que estava baleado no abdômen e com a mão no asfalto, foi ferido novamente”, conta o delegado Jairo Carlos Mendes, que também participou das investigações.

Caído no solo, Alexandre friamente entrou no veículo do policial e pediu para um adolescente de 15 anos assumir a direção. Ambos pararam bem próximo a vítima e, com o revólver cautelado de Dirceu, o executaram com mais dois tiros. “Não temos dúvidas de que se trata de uma execução primária, de um servidor do Estado, por isso tamanho empenho da Polícia e a pronta resposta à sociedade”, diz o delegado Tiago Macedo dos Santos, outro envolvido nas investigações.

Na ocasião, eles ainda contaram com a ajuda de Giovani de Oliveira Andrade, 18 anos, os irmãos Cleber e Renato Ferreira Alves, ambos de 21 e 36 anos, respectivamente. Outra pessoa indiciada foi Lúcia Helena Barbosa, 50 anos, mãe do travesti Alexia e de Alexandre e que escondeu a corrente no seu guarda-roupa.

Cada qual com a sua participação, os envolvidos responderão pelo homicídio, lesão corporal dolosa, referimento aos ferimentos causados no policial Osmar, receptação dolosa, porte ilegal de arma, resistência e possivelmente a corrupção de menores. A pena pode ser superior a 20 anos.

Crime - Dirceu foi baleado com dois tiros na testa e na nuca,no bairro Campo Nobre, em Campo Grande. O bando ainda levou o carro onde ele estava, segundo informações preliminares. Ele investigava com Osmar o roubo de jóias e armou um "falso programa" com o travesti para recuperar o bem.

Autor do homicídio é reincidente no crime. Foto: Marcos ErmínioAutor do homicídio é reincidente no crime. Foto: Marcos Ermínio
Travesti foi o único a negar participação na morte. Foto: Marcos ErmínioTravesti foi o único a negar participação na morte. Foto: Marcos Ermínio
Travesti assumiu execução de policial para aliviar situação do irmão
Na fase de conclusão do inquérito policial que investiga a morte do investigador Dirceu Rodrigues dos Santos, 38 anos, a Polícia já descobriu que o a...
Investigações apontam que outra travesti armou emboscada para policial
As investigações policiais apontam para o envolvimento da travesti Alexia (Alexandre Gonçalves Rocha) no assassinato de um policial civil da Capital....


maximiliano é fácil criticar porque essa pessoa não faz parte de sua família, pois antes de ser policial ele era igual a você um cidadão como os outros , a policia também se empenha em solucionar outros casos ao contrario do q pensa. A diferença é q vc não precisa arriscar sua vida por outro para sustentar sua família,assim fica fácil dar opinião. Em vez de criticar a divulgação da mídia com relação a este caso pense q vc como todos os cidadãos sustentamos essas mesmas pessoas q logo estarão nas ruas cometendo os mesmos crimes.
E além de tudo se a mídia divulgasse todos os homicídios não teria mas noticias além destas, conheci este policial pai de família , honesto e que acima de tudo se preocupava com o próximo, respeite a dor do próximo pois a família deste cidadão continua desolada
 
Alessandra R. Peixoto em 30/04/2014 22:36:31
Senhor maximiliano este policial que vc esta si referindo era um ótimo policial e um ótimo amigo e pai de família e como cidadão também pagava seus imposto corretamente alias quando vc esta dormindo terá sempre algum policial investigando ou fazendo ronda! não sou policial ainda mas pode ter certeza quando eu for vou provar pra vc e para pessoas iguais a vc que existe policial honesto! Dirceu deixa uma filha que quando viu Pai no caixão implorava para ele voltar ai vem esses seres para aumentar o sofrimento da familia e de todos que gostava do amigo Dirceu!! Dirceu vai em Paz irmão pq vc combateu um bom combate agora guardou a arma e descansara.
 
Amison Matos em 11/02/2014 08:12:22
o policial esta morto e os marginais vivos, tinha que ser o contrario, mas infelizmente o policial si foi, e ainda temos que sustentar essas pragas na cadeia, deixa esses apodrecendo na cadeia. cambada que não vali nada, oque é deles ta guardado.
.
 
toni franco em 10/02/2014 21:24:35
"Dirceu" foi mais um entre tantos outros "loucos" pela rua para defender nós cidadãos, que deixava sua cama quente nas madrugadas frias...festas e feriados com a família...em busca de solucionar um crime....Dirceu, eu conheci, eu convivi, eu admirava sua pessoa e seu trabalho. Para muitos virará estatística, só mais uma reportagem trágica, só que tantos outros ele está sendo uma ausência dolorosa, que oramos para se tornar doce lembrança sem lágrimas. Respeitem a dor da família e dos seus amigos.
 
Fabiana Ribeiro em 10/02/2014 18:08:31
Os policiais estavam trabalhando para recuperar um bem de uma vítima de roubo, aliás como fazem todos os 365 dias do ano, para quem não sabe tem sempre um policial trabalhando contra o crime se arriscando por pessoas que na sua maioria não merecem o sacrifício da polícia. A vítima do roubo da joia não tem nada que ser exposta. A resposta foi rápida sim, e não deveria ser de outro modo, ou seria melhor deixar indivíduos que tem a ousadia de executar policiais soutos pela rua? Mas aos críticos da polícia, não se preocupem, em breve estas mesmas pessoas terão direito legal de voltarem as ruas; então quando os que criticam a celeridade da polícia no caso, precisarem vamos ver a quem vão recorrer. Polícia não trabalha? Os presídios estão superlotados? Os presos foram para lá sozinhos?
 
CESAR CASTRO em 10/02/2014 17:06:15
Agora, um policial civil ou investigador, que pra mim é a mesma coisa ser imobilizado por um travesti, muito me assusta. Tá tudo errado, ou tudo mal explicado. (ao meu entender).
 
Paulo Rogerio em 10/02/2014 16:40:15
Meu caro maximiliano esse policial tem nome " DIRCEU ".Além de policial ele também era um cidadão, pai de família, filho exemplar e ótimo amigo, que igual a nós também pagava seus impostos e cumpria como dever da profissão qual escolheu e acabou-lhe colhendo a vida . Infelizmente ainda existe pessoas iguais a você que só sabe questionar e julgar. Gente igual a você só da valor a policia quando um bandido bate na sua porta, pois logo lembra de ligar pra 190.Você já se perguntou quantos bandidos ele ajudou a tirar da rua com suas investigações? Nem todo policial é desonesto, como nem todo cidadão comum é honesto. Meça suas palavras quando falar de alguém que só conhece pela mídia.
 
ROSANGELA CAMPOS em 10/02/2014 16:30:48
A população nunca está contente com nada mesmo né? Se a polícia não soluciona o caso iriam falar "se nem matando um deles eles conseguem prender os autores, imagina se é um de nós?", agora como solucionaram o caso, tendem ainda assim a falar mal! Eu quero ver se um destes que estão criticando aqui tem a capacidade de manter uma familia com aproximamente 2mil reais, pegar uma arma de fogo, sair em alta velocidade para atender um local onde está ocorrendo um assalto a um estabelecimento comercial/residência/o que seja! Quando vocês estão sendo vítimas de crimes vocês chamam quem? O batman?
Parem de criticar o fato de eles estarem TRABALHANDO!
Já a respeito de quem seria a tal vítima do roubo da(s) jóia(s), não acho necessário a divulgação sendo que a própria vítima pode ter solicitado isto!
 
Marcos do Val em 10/02/2014 16:07:41
Acredito que o jornal esteja passando informação colhida com a polícia. Mas desde o começo essa história está pela metade. Corrente de 80 mil!! De quem? Esses dois policiais estavam com voz de prisão pra prender alguém? Acho que não pq a reportagem só fala que armaram pra recuperar o bem. Se não é para informar um caso com a história completa ou contar as coisas pela metade, então não diga nada.
 
Andre Siqueira em 10/02/2014 13:08:26
Quando o crime envolve morte de policial, eles utilizam toda a maquina da policia e do governo para achar rapidamente e prender ou matar os autores, com o restante da sociedade já não funciona da mesma forma, eu gostaria que alguem me explicasse o porque? É por que quando matam um policial, a policia se desmoraliza? Mas ao meu entender, quando não se resolve um crime qualquer a policia tambem se desmoraliza, pelo menos no meu entender e perante a sociedade. Então porque um policial morto é muito mais importante para a policia do que um cidadão, que produz, que paga seus impostos e que é honesto? Se o cidadão morre, ele pára de pagar imposto, sem imposto, a policia não tem salário, ao meu ver, é tão importante solucionar um crime contra o cidadão do que um contra a policia.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 10/02/2014 12:45:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions